CAVACO - DE PR A MINISTRO DA PROPAGANDA

Cavaco, que sempre maltratou o anterior governo socialista, sempre se deu com o atual - maioritariamente constituído por elementos do seu partido de sempre - como Deus com os anjos. Ou melhor: sempre andou com ele ao colo.

A princípio ainda disfarçava, aparentando uma certa equidistância entre governo e oposição. Mas isso era apenas para pedir o "consenso" do PS, isto é, para tentar corresponsabilizar este pelas malfeitorias do governo.

Agora, porque já perdeu as esperanças do "consenso", porque está em fim de mandado e sobretudo porque se aproximam as eleições legislativas, perdeu completamente o decoro e anda pelo País fora a fazer campanha pela coligação governamental. Papagueia as balelas do Coelho sobre a "recuperação", a "superação da crise", etc., como se fosse um altifalante do governo, senão mesmo o seu porta-voz.

E critica asperamente os "profissionais da descrença", isto é, os sem-abrigo (ai aguenta, aguenta!), os desempregados, as crianças que passam fome, os velhos que não têm dinheiro para os medicamentos de que precisam, etc.

Abandonou por completo a postura de Presidente para assumir sem qualquer rebuço a de Ministro da Propaganda!

Comentários

Cavaco foi um mérito satélite do Governo. Estou sem perceber se é por vontade própria ou por motivos que ignoro.
e-pá! disse…
AHP:

A leitura sobre o conteúdo dos 'profissionais da descrença' é muito benigna porque deriva para um campo muito distante das preocupações do inquilino de Belém, isto é, a área social.
Na verdade, os 'profissionais da descrença' e os 'profetas do miserabilismo' (palavras proferidas em Lamego) são as Oposições.
Este entendimento (leitura) é o real contexto da arenga do último 10 de Junho.
E sendo assim não podem restar dúvidas que tomou publicamente partido (já o vinha fazendo há muito...), alijando vergonhosamente as funções presidenciais para o lixo.
Caro e-pá

Eu sei que ele queria referir-se às oposições, mas quis sublinhar o "miserabilismo" em vez dos seus "profetas".

Mas não há dúvida de que ele, ao criticar as oposições, está a abdicar das suas funções de PR e a assumir as de Ministro da Propaganda do governo.

Um abraço

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido