A voz insana e a petulância insaciável de mais um ‘artista português’ …

PSD: «Onde querem redução da despesa? No Estado Social?»link.
Declarações de Jorge Moreira da Silva no final da reunião da Comissão Política Nacional do PSD, terça-feira à noite.

O primeiro vice-presidente do PSD está – no campo partidário – de serviço à crise política. O presidente do PSD está no estrangeiro em missão partidária (Congresso do PPE).
O vice não sabe como lidar com a situação. Não consegue fazer pontes com o parceiro de coligação de maneira que dispara contra tudo e todos.

A tal comissão de coordenação PSD/CDS que saiu da crise decorrente do anúncio de 7 de Setembro das alterações da TSU foi, hoje é notório, mais um embuste para servir no Conselho de Estado de 20 do mesmo mês. Num momento de crise, como seria de esperar, não funciona e nem sequer é convocada.
Quando confrontado pela imprensa à saída da reunião partidária sobre a coesão da coligação governamental limita-se a mandar os jornalistas perguntarem ao CDS.

De seguida  confrontado com o OE, como liberal que pretende ser perde-se em lancinantes lamentos acerca dos aumentos de impostos, mas acrescenta que não há alternativa. Tudo o que possa ser alternativa, mesmo antes de a conhecer é, na sua douta opinião, pior.

Após isso para rematar (amedrontar) vem declarar que os cortes na despesa pública, as tão badaladas ‘gorduras’ do Estado que, como foi anunciado na campanha eleitoral, serviriam para tudo, se esgotaram rapidamente e mais cortes só 'abocanhando' o Estado Social... 
Como se os cidadãos ignorassem que a fatia de leão na diminuição da despesa pública, tão propagandeada como um sucesso deste Governo, fez-se exactamente à custa do Estado Social, i. e., dos cortes no subsídio de férias e de Natal dos pensionistas, dos aposentados e dos FP´s. A que acresce os cortes na Educação que levaram a reagrupamentos escolares gigantescos e irracionais, a despedimentos de milhares de professores…
No SNS para além das reduções drásticas advindas directamente das dotações orçamentais, o aumento brutal das taxas moderadoras, o encerramento de serviços e restrições dos bens consumo corrente, são a ponta do iceberg do que se passa no sistema de saúde público.
Finalmente, na Segurança Social, as chamadas ‘reformas estruturais’, as taxas sobre pensões e aposentações, as desvalorizações do factor trabalho, as desvalorizações dos custos de despedimentos, a disseminação da precariedade nas relações de trabalho, etc., são - em última análise – o banquete que o Governo serviu aos mercados à custa do Estado Social.

Portanto, parte substancial dos cortes das ditas 'gorduras do Estado' recaiu directa ou indirectamente sobre o Estado Social. A ameaça do Sr. Jorge Moreira da Silva é vã. Deve este jovem e fogoso político saber que ninguém consegue continuar a espoliar os miseráveis ameaçando-os com mais miséria.
Ou, melhor, quando se esgrime este tipo de argumentos não se anda longe do embuste político. O que tem sido o recurso habitual da actual ‘nata’ política.
Ou, complementarmente o 'seu' percurso peculiar: Jotinha, deputado europeu, deputado na AR, consultor do PR, etc. (a sequência é arbitrária).

Por favor, tirem-me deste filme...

Comentários

menvp disse…
Blog POLITEIA: «E a primeira alternativa que temos de pôr em prática é a erradicação da OBSCENA VERBA de mais de 9 mil milhões de euros - que está inscrita no Orçamento de Estado - para pagar o serviço da dívida... tem de ser substituída por uma verba incomparavelmente menor.»
.
.
RENEGOCIAÇÃO DA DÍVIDA
.
Há séculos e séculos que o Negócio da Dívida é a mesma coisa:
- sempre que um agiota quer 'deitar a luva' aos bens de alguém... o agiota acena com empréstimos... que sabe que não vão conseguir pagar... porque... o agiota 'trata' de complicar a vida ao devedor!
.
Hoje em dia, mega-agiotas não se limitam a acenar a famílias... eles acenam a países inteiros!
-» Nota 1: a Goldman Sachs chegou ao ponto de camuflar a dívida grega... para que depois... mega-agiotas pudessem deitar a luva a activos gregos (e não só...) a preço de '''saldos'''!...
-» Nota 2: Mais, a Goldman Sachs chegou ao ponto de colocar elementos seus nas comissões de privatizações!
.
---»»» Os Credores andaram a 'comer' o Estado português, leia-se, andaram a 'comer' os contribuintes portugueses, como OTÁRIOS!!!
De facto, mafiosamente, os Credores complicaram a vida ao Devedor!
Um exemplo:
- quem falou que a dívida estava a crescer demasiado (ex: Manuela Ferreira Leite) foi enxovalhado pelos Media e apoiantes seus foram silenciados (nota: os Media são controlados pela superclasse)... em simultâneo... os Media deram amplo destaque a marionetas/bandalhos: «há mais vida para além do deficit»;
- depois de complicarem a vida ao devedor (leia-se, o Estado português)... eles passaram a cobrar juros mais altos!...
.
O CONTRIBUINTE PORTUGUÊS TEM DE REAGIR face às mafiosices dos credores/agiotas!...
.
Uma sugestão: Islândia - a revolução censurada pelos Media, mas vitoriosa!
Resumo (tudo pacificamente):
- Renegociação/reestruturação da dívida;
- Referendo, de modo a que o povo se pronuncie sobre as decisões económicas fundamentais;
[uma sugestão: blog «fim-da-cidadania-infantil»]
- Prisão de responsáveis pela crise;
- Reescrita da Constituição pelos cidadãos.
{Obs: Os políticos e os partidos políticos vão ter que se aguentar... leia-se, têm de passar a ser muito mais controlados pelos cidadãos... consultar o know-how islandês poderá ser muito útil: deve-se icentivar atitudes de participação cívica... que não sejam... gritar com megafones, derrubar barreiras policiais, etc}
Kurcudilo disse…
Tão novinho e já é tão embusteiro !

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime