O BOM CAMINHO

Não sei o que mais me ofende: se ouvir os membros do governo português insultar-nos de piegas, esquizofrénicos e cigarras, se ouvir estrangeiros como o presidente do BCE e os ministros e secretários de Estado das finanças alemães elogiar-nos dizendo com ar paternal que estamos “no bom caminho”.

O desemprego atinge níveis nunca antes imaginados e os jovens, mesmo os mais qualificados, vêem-se obrigados a emigrar. Mas estamos no bom caminho!

Todos os dias vão à falência dezenas de empresas, outrora prósperas, lançando os empregados no desemprego e afetando os negócios de outras empresas delas dependentes. Mas estamos no bom caminho!

Os salários e as pensões são reduzidos, agravando o já antes baixo nível de vida das famílias, e reflexamente fazendo diminuir o consumo e por consequência as receitas fiscais. Mas estamos no bom caminho!

O Serviço Nacional de Saúde, uma das maiores realizações da nossa democracia – vejam-se o grande aumento da esperança de vida e a enorme baixa da taxa de mortalidade infantil registados a partir do 25 de Abril – está a ser desmantelado. Mas estamos no bom caminho!

Avaliações fiscais de imóveis feitas na secretaria, sem ter em conta sequer o preço por que aqueles foram comprados, fazem aumentar exponencialmente o IMI, a ponto de muitos pequenos compradores de casa própria, já assoberbados com as prestações bancárias, se verem obrigados entregar as casas aos bancos – que, diga-se de passagem, só têm prejuízo com essas entregas, pois se vêem obrigados a leiloar essas casas a preços de saldo. A celerada “lei das rendas” que brevemente vai entrar em vigor levará ao despejo de milhares de famílias. Mas estamos no bom caminho!

Enfermeiros e médicos vêem-se obrigados a entregar-se nas mãos de empresas de trabalho temporário, autênticos “negreiros” que os alugam aos hospitais a 4 ou 5 euros à hora. Mas estamos no bom caminho! Setores estratégicos da nossa economia estão a ser vendidos ao desbarato a estrangeiros. Mas estamos no bom caminho!

Não se pense porém que é por mero cinismo que essa quadrilha de gangsters internacionais diz que estamos no bom caminho. Do ponto de vista deles, estamos mesmo no bom caminho. É que o que eles pretendem não é ajudar a resolver os problemas de países como Portugal, a Grécia, a Espanha e outros; o que pretendem é instaurar na Europa um sistema económico de capitalismo selvagem, semelhante ao que Mick Romney quer para os E.U.A..

O que pretendem é entregar a Europa, sem quaisquer meios de defesa, à voracidade predadora “dos mercados”, isto é, dos especuladores apátridas. No caso particular dos atuais governantes alemães, o que eles pretendem é ainda aproveitar a crise para, por via da agiotagem, submeter a Europa à hegemonia alemã. É esse, para eles, o “bom caminho”!

Comentários

Certamente por inépcia informática minha, o texto, escrito com parágrafos, saíu sem eles. Do facto peço desculpa aos leitores.
Caro Horta Pinto:

Posso ter errado nos parágrafos que pretendia mas, pelo menos, respondi ao seu desejo de facilitar a leitura.
Caro Esperança

Os parágrafos estão exatamente como eu os tinha posto.Obrigado.
Cara horta esperançosa há poucos leitores que passem mais do que 0:08....logo nem dão pelos paragrafosos

de resto o que ando a seguir saltou 14 blokis em 0:22.....
rápido pô

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?