Talibãs romanos na Argentina




Sequestrada em 28 de julho, levado para a Patagónia e forçada à prostituição, conseguiu escapar da rede do tráfico, mas ficou grávida. Ela queria o aborto que a lei já permite na Argentina. Mas o prefeito de Buenos Aires, Mauricio Macri, um conservador, anunciou na terça-feira, a intenção de boicotar o primeiro aborto que ia ser feito segundo a nova legislação.

Um grupo católico ultraconservador conseguiu deter a intervenção, interpondo recurso judicial, depois de ter entrado à força na sala de operações do hospital.

Continue a ler esta notícia do El País sobre os talibãs católicos.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime