Factos & documentos

 O projecto aprovado em 2004, no valor de 1,2 milhões de euros, destinava-se a formar centenas de técnicos municipais para trabalharem em sete pistas de aviação, parte delas fechadas, e em dois heliportos da região Centro. No total, estas pistas tinham dez funcionários, agora têm sete.

Comentários

e-pá! disse…
Torna-se (demasiado) óbvio que estes dois comparsas (não podem ser vistos doutro modo) não dispunham das condições necessárias para assumir funções governativas. E as condições necessárias não devem ser sofisticadas. Bastaria terem o bom senso de olhar para o seu cadastro pessoal, empresarial e político que hoje se apresenta com demasiadas opacidades e sucessivas intersecções entre actividades públicas e privadas.
A cascata de enviesados 'compromissos' e 'cumplicidades' que têm sido denunciadas, e que remontam a um longo passado pessoal, dificilmente se pode coadunar com o exercício de funções e de responsabilidades públicas.
A pergunta que se impõe é: se acaso estes 'acontecimentos' (cujos autores virão certamente alegar que os mesmos aconteceram na maior das 'legalidades')tivessem sido do conhecimento dos portugueses acaso os resultados eleitorais teriam sido idênticos?
Receio bem que não. E sendo assim o actual Governo vive do 'ocultismo' e carece de legitimidade democrática.
Só está no poder porque se agarrou a preceitos legalistas que, como sabemos e defendemos, coloca os vencedores das eleiçôes com a responsabilidade política de conduzir o País durante o mandato em escrutínio.
Hoje, é cada vez mais visível, mais sobrenadante, a farsa eleitoral e progrmática que foi 'impingida' aos portugueses.

É gente sem vergonha na cara. Relvas, apesar de todas as "broncas" que têm sido desmascaradas, continua a falar aos jornalistas como se nada se passasse; e Passos Coelho diz que dorme descansado!

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?