As ditaduras começam assim


A Assembleia Nacional da Venezuela aprovou hoje a emenda constitucional que permitirá a Hugo Chávez apresentar-se a eleições sucessivas à presidência . Foi a primeira de duas discussões parlamentares obrigatórias sobre o projecto.

O próximo debate parlamentar está previsto para o dia 5 de Janeiro próximo .

Comentários

MFerrer disse…
Carlos Esperança,
Nós temos imensas causas comuns. Temos menos, em separado. Uma delas é a visão do terceiro mundo onde vivi muito da minha vida e onde assisti aos populismos mais descabelados como contraponto de muita iniciativa paternalista.
E o qe se pasa na Venezuela é a herança do colonialoismo, do neo-coloniaismos ensopado no caldo perigoso da ICR que há séculos p+ercebeu o filão das crenças populares andinas e sul-americanas.
Aí se desenvolveram as mais sinistras seitas e ortodoxias católoicas que, a toda a exploração contrapõem a humilhação e a reverência numa vida melhor...no além.
Não creio que seja um bom serviço a esses povos mandar queimar os seus novos líderes, por muito anti-democráticos que se nos pareçam.
Cumps.
MFerrer
MFerrer:

Agradeço e aprecio os seus comentários e digo em minha defesa que os meus olhos vêem através das lentes da nossa cultura.

Nem sempre sou justo mas procuro dar testemunho da forma como vejo o mundo.

Abraço.
Caro CE
Quando se chega a este ponto, é porque a ditadura já começou!
e-pá! disse…
Os termos que MFerrer se refere à sua vivência na América Latina sensibilizaram-me imenso.

De facto, na Europa, sempre tivemos dificuldades em compreender a política sul-americana.
Sabíamos que existiam importantes interesses americanos, nomeadamente, no controlo de matérias primas e na exploração mineira.

Politicamente, sempre foi um sub continente dominado pela instabilidade.
O paraíso dos golpes militares.
As Forças Armadas destes Países caracterizavam-se pela venalidade, subserviência e eram totalmente vulneráveis às manobras da CIA.

Culturalmente, nomeadamente, no campo da literatura foram brilhantes, bastando recordar José Luis Borges, Jorge Amado, Gabriel Garcia Marques, etc.

A fome e a pobreza extrema fizeram nascer a Teologia da Libertação, um avançado movimento católico de cariz eminentemente popular que foi estrangulado pelo, então, cardeal Ratzinger…

Esta uma pequena súmula histórica de um extenso território índio e berço de uma importante civilização pré-colombiana e que tem sido tão maltratado – desde a colonização espanhola e portuguesa ate aos nossos dias - uma América Latina que se torna misteriosa e sedutora para nós - que somos uns vagabundos do Mundo.

Actualmente, vive um bom momento. Economicamente, são muitos os Países onde no seu seio se desenvolvem “economias emergentes” que, com menores dificuldades resistirão à actual crise financeira e económica.
Politicamente, libertaram-se das amarras americanas e tentam consagrar a autenticidade das resoluções, a conjugação de esforços para o desenvolvimento(MERCOSUL) e a autonomia das opções políticas.

A Venezuela insere neste terreno...

Como se pode ler no presente post terminou o primeiro período de discussão sobre o projecto de emenda constitucional do artigo 230 referente à reeleição presidencial.
Esta emenda é o resultado da iniciativa popular que organizou uma impressionante petição pública: 4 milhões e 700 mil venezuelanos e venezuelanas.

Segue-se um 2º período de discussão a 5 de Janeiro de 2009 e, finalmente, o Conselho Nacional Eleitoral fixará a data de realização de um referendo nacional.

Um longo e complexo processo que poderá ser vítima de manipulações, desvios, etc., mas dificilmente poderá ser classificado, à partida, de ditatorial.
Os ditadores governam por decreto, não reconhecem qualquer utilidade as Assembleias Legislativas e não se submetem ao veredicto popular.

Será util relembrar que há cerca de 1 ano Hugo Chavez perdeu um referendo que pretendia alterar a Constituição venezuelana.

Embora em politica se deva fazer como no futebol – vaticínios só no fim do jogo, quem estudar os resultados das ultimas eleições regionais da Venezuela verificará que tendo vencido em 17 dos 22 Estados, perdeu muito do seu eleitorado tradicional. Por exemplo, em Caracas, onde vivem milhões de “descamisados” que estão no desemprego ou têm trabalho precário na capital, António Ledezma – opositor de Hugo Chavez - foi eleito “ Alcalde del Distrito Metropolitano.”

Deste modo não poderemos considerar o próximo referendo como “favas contadas”, mas devemos manter-nos atentos a este singular processo de emenda constitucional, cujo sucesso, introduziria alterações profundas (algumas dramáticas) no futuro da Venezuela.

Esperemos por Janeiro.
MFerrer disse…
Carlos Esperança,
Todos fazemos ou procuramos fazer isso mesmo: dar conta da nossa visão do mundo. Essa é a nossa diferença como indivíduos: No final, quais os valores que protegemos e em que circunstâncias ( Nós e e as nossas circunstâncias )
Mas por isso mesmo, jogar fora a água do banho sem ver donde pára a criança é precipitação.
Ando há tempos meio agoniado com outra das causas mais "queridas" da direita, e dos democratas a que chamo "rápidos, fast, pronto a vestir" e que tanto se preocupam com o Zimbabwe depois de ele ter sido completamente estrangulado pelo neo-colonialismo inglês que não perdoa ao Mugabe, perdão ao Sir Mugabe( por altíssima graça da não menos alta HRM The Queen!), não lhe perdoa, dizia, ter nacionalizado as terras dos colonos brancos, o atrevido!
Mas a campanha internacional mistura a realidade, péssima, com a fantasia mais descarada e os desmentidos da OMS de que a epidemia de cólera está sob controlo, nem são sequer tidos em conta. O que conta mesmo são os sacros interesses da GB!
Quanto ao nosso amigo e-pá! muito lhe agradeço a contribuição que deu ao meu pequeníssimo argumentário.
Subscrevo completamente e aplaudo a lucidez. Rara nestes tempos!
Cumps para ambos
MFerrer

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime