Estatuto dos Açores

A revisão do Estatuto Político-Administrativo dos Açores foi confirmado, esta sexta-feira, com 152 votos a favor e 76 abstenções, sem que tenham existido votos contra.

Depois de uma votação, sem votos contra, é penoso ouvir o líder parlamentar do PSD a considerar que o «PS ficará com a marca de quem, numa altura de crise económica grave, quis criar uma crise política artificial para desviar as atenções dos portugueses».

Pergunta: E absteve-se? Que cobardia.

Nota: Os leitores do «Ponte Europa» conhecem a minha posição contrária a este Estatuto.

Comentários

e-pá! disse…
MFL pensou que a abstenção era uma atitude salomónica.

Ou então julga que a abstenção é a renúncia em manifestar opinião em relação às posições de Belém, porque a liberdade que disfrutam, ou da qual estão privados, não o permite. As subserviências, por vezes, levam-nos à vergonha.

Mais prudente do que a dúbia abstenção seria a abstinência de comentários despropositados sobre o Poder Legislativo.

O "Estatuto dos Açores" aparentemente um assunto consensual - foi votado por unanimidade - tornou-se, pelo dramatismo que lhe imprimiu o PR na sua dramática comunicação ao País em pleno Verão e no posterior veto político, num projecto de ruptura institucional.

A pergunta é sempre a mesma:
Neste momento, a quem serve esta situação?

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime