Momento de poesia


Dissertação sobre a Palestina…


Nem a Tora

nem a ira de Moisés,

ao quebrar as tábuas divinas

por causa de um bezerro de ouro,

têm a força certeira das balas das espingardas

já deixei

de contar os mortos embrulhados

em bandeiras

nas loucas correrias de tiros e de gritos

à volta de um caixão

e de ouvir

o choro das crianças

quando descobrem que os tanques dos judeus

não são nenhuns brinquedos inocentes

alguém, um dia, lhes irá falar

no paraíso celeste das mil virgens

na Jihad por Alá

e na virtude do sacrifício e da vingança

fazendo-se explodir em qualquer praça.

Alexandre de Castro

Comentários

Mano 69 disse…
Caro Carlos Esperança

Só para o elucidar, o gaiato está a atirar um objecto á parte de trás de um tanque… Claro está que isso não invalida que “uma imagem vale mais do que mil palavras”.

A bem da verdade, digo, nação

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime