Melo Antunes – Uma biografia política


No magnífico ambiente do Café Santa Cruz que um presidente da junta de freguesia quis confiscar para sede, foi apresentado esta tarde o livro «Melo Antunes – Uma Biografia política». Com palavras de Maria Inácia Rezola – a autora –, e do generoso capitão de Abril, Vasco Lourenço,  soube-se um pouco mais do intelectual destacado, melómano exigente e humanista de enorme dimensão ética – Melo Antunes.

Evocaram-se os mortos e convocaram-se os vivos para a homenagem à epopeia do 25 de Abril, onde o intelectual e patriota Melo Antunes teve um lugar de grande destaque.

Quando temos um Governo que abomina Abril e um PR que distingue com dificuldade o 25 de Abril e o 28 de Maio, com um povo que esquece a data maior da nossa História, foi uma felicidade recordar a data e os protagonistas da mais bela Revolução do século XX.

No Cantinho dos Reis, em Coimbra, perante a felicidade do Reis, enquanto jantávamos, era o amor a Portugal, a saudade da Revolução e a mágoa do estado a que chegámos que uniu seis democratas numa homenagem a um dos maiores pensadores do século que nos coube.

Vasco Lourenço será sempre referência da data maior da nossa História e Melo Antunes o intelectual que traçou o caminho de uma Revolução que, metódica e cinicamente, este Governo quer apagar.

Uma noite como a de hoje é um marco na vida de quem não esquece Abril e não deixará que o apaguem.      

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Associação Ateísta Portuguesa (AAP) - RTP-1