Cavaco - ‘Nunca Mais’…

O Presidente da República pronunciou-se sobre o fim do PAEF sem recorrer ao Facebook.  
Aproveitou a oportunidade de se encontrar no estrangeiro para expressar o seu taxativo desejo que: “Portugal nunca mais se encontre nesta situação e que os portugueses sejam capazes de gerir as suas contas mantendo-as controladas…link.

Não sabemos se esta tirada se encontra em alguns dos prefácios dos seus ‘Roteiros’. Na verdade, é de supor que muitos poucos portugueses tenha a paciência ou reconheçam importância a esses escritos que periodicamente edita para se informarem.
Mas a frase proferia em Macau e onde constam três palavras-chave (Portugal, nunca e mais) é uma revelação deveras interessante.
Os portugueses interrogar-se-ão se o Presidente é um dos ocultos subscritores de um manifesto-petição link posto a circular em Portugal neste momento político (o putativo fim do programa de intervenção externa).

O manifesto-petição “Nunca Mais” subscrito por uma plêiade de indefectíveis apoiantes da actual coligação governamental (António Nogueira Leite; André Azevedo Alves; António Belmar da Costa; Francisco Waldemar D'Orey; Francisco Xavier Bello van Zeller Henrique Diz; João Couto; João Duque ; José Ferreira Machado; Luís d'Almeida; Norberto Pires; Nuno Vaz da Silva; Pedro Botelho Gomes; Pedro Sampaio Nunes; Peter Villax; Rui Paiva; Zita Seabra; etc.) discrimina uma cascata (meia dúzia) de situações que vão em socorro da estafada tese do 'viver acima das possibilidades' que são rematadas com um ‘nunca mais’, mas passa ao lado de questões que estão na génese das celebradas  e adquiridas lições sobre o resgate. Entre elas esqueceu-se, por exemplo, de verberar com o seu estridente NUNCA MAIS o resgate dos activos tóxicos e das especulações da banca com dinheiros públicos (dos contribuintes).  
Finalmente, Cavaco Silva, lá de longe, mostra não querer perder o comboio e resolveu informalmente associar-se a esta iniciativa da sua família política. 
Nada que choque com as suas opções políticas e colida com o suporte que tem oferecido a este Governo. Todavia, deveria ter subsistido o mínimo de pudor de um político que, no exercício do seu poder, recentemente exonerou 2 assessores que subscreveram um outro manifesto (o dos '74') link.
Assim não!
Haverá razão para pensar: CAVACO NUNCA MAIS?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …