Sócrates e os derrotados

A parelha Paulo Rangel/Nuno Melo, émulos da calamitosa parelha Paulo Portas/Passos Coelho,  passaram a campanha eleitoral, não a falar da Europa mas a atacarem Sócrates, averbando uma derrota humilhante ao mesmo tempo que involuntariamente reabilitaram o antigo primeiro-ministro.

Não sendo meninos de coro, resta pensar que são o refugo do PSD e do CDS.

Comentários

Manuel Galvão disse…
Os votos que o Partido da Terra levou a mais foram votos contra a corrupção que grassa no Bloco Central. Os votos que o PCP levou a mais foram votos contra a viragem à direita do PS.
Se não fosse este desvio de votos o PS teria tido maioria absoluta. Provou-se que o PS não é considerado um partido da esquerda por muitos eleitores.
Tudo isto porque o PS não soube, em 3 anos, explicar aos portugueses, como é que faria se fosse governo. É que não é fácil explicar como será possível não aumentar impostos e taxas para reformados, funcionários públicos e trabalhadores privados, e ao mesmo tempo diminuir a dívida externa.

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …