A fé custa dinheiro

O Vaticano também aproveita o apoio financeiro de corporações quando se celebram eventos como o da canonização de papas. A cerimónia do passado domingo foi patrocinada por multinacionais, petrolíferas e bancos.

Comentários

e-pá! disse…
A ICAR 'revelou' (é este o seu modo de comunicação preferido) como e de que modo o dinheiro estaria presente na cerimónia de 'santificação' dos seus 2 'past-chiefs'.
O mundo (profano) não ignora que ambos foram uns fervorosos apoiantes (membros?) da Opus Dei.
E mais não será necessário especular mais sobre o alcance deste facto em termos de patrocínio próprio e do 'mundo financeiro' onde 'caridosamente' actua e colhe benefícios e mordomias sob a forma de acções ou de óbolos (a distinção é irrelevante).
Aliás, na cerimónia do Vaticano ficou bem visível o reconhecimento ao 'sponsor oficial' através da simultânea beatificação do sucessor de Josemaria Escrivá na prelatura - Álvaro del Portillo.

Na verdade, constatámos o carácter mundano destes pios lugares onde, como se verificou, 'não há almoços grátis'...

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

Macron e a ‘primeira-dama': uma ‘majestática’ deriva …