20 de dezembro de 1973

Luis Carrero Blanco, era presidente do Governo espanhol e cúmplice do maior genocida de todos os tempos na Península Ibérica.

Há 41 anos, saído da missa, bem rezado, comungado e incensado, graças a 100 quilos de Goma-2, colocados pela ETA no túnel dedicadamente construído pela ETA, o carro blindado em que se deslocava foi projetado a uma altura de cinco andares, ficando mais perto do Céu.

Na queda, o carro caiu no pátio de um convento. Nunca foi tão santa e desejada a morte de um carrasco.  

Comentários

e-pá! disse…
Quem não se lembra da célebre e cruel frase que circulava nos meios anti-falangistas de Espanha:
"Arriba Franco tan alto como Carrero Blanco"...?

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido