Grécia

Durante cinco anos a União Europeia lançou o pânico e a miséria nas famílias gregas. Agora, pelo menos até 25 de janeiro, a democracia grega apavora a Europa. O partido Syriza, liderado por Tsypras, não é desejado pela Sr.ª Merkel e, talvez por isso, seja o favorito.

Espero que a UE não tenham um coronel à espera de corrigir a democracia porque caminha pelo lado errado do capitalismo liberal.

Estes biltres ultraliberais são vingativos e os únicos valores que respeitam são os que se guardam nos cofres de um banco ou se evadem para um offshore.

Comentários

e-pá! disse…
Será que os gregos entendem que baixar os salários e as reformas à volta de 40% é uma 'reforma estrutural' para incentivar o crescimento económico?

Ou não seria melhor o Sr. Wolfgang Schäuble explicar antecipadamente porque começou a intrometer-se nas eleições gregas?

Paira no ar a sensação de que alguém pisou o risco.
A 25 de Janeiro saberemos quem foi...

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido