Parabéns, Mário Soares


Nunca um homem com tantos defeitos foi tão grande. Culto, cosmopolita e audaz, será perpetuamente a grande referência desta segunda República.

Combatente da liberdade, soube sempre, antes dos outros, o caminho a seguir na luta pelos seus ideais, que são também os da grande maioria do povo português.

Não lhe interessa ser politicamente correto, quer estar de acordo com a sua consciência, e, por isso, com os defeitos e enormes virtudes, será o homem de Estado cuja dimensão histórica acompanhará a memória do povo que muito deve à sua clarividência e coragem.

Obrigado, Mário Soares.

Comentários

Unknown disse…
E, contudo, quando partir, não ficsrá no coração das massas populares, pesem sentidas hossanas ou crispados delírios do coro dos avençados.


João Pedro
septuagenário disse…
Tal como na ditadura a grande imagem foi o homem do interior beirão de Santa Comba, na 1ª República a imagem foi um também beirão, Afonso Costa, agora temos Soares, um alfacinha a marcar o regime.

A incógnita é quem será a figura que ficará para a históri, a partir da entrada da troica.

Será uma senhora alemã?

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido