Criação de empresas "na hora". [2]

No seguimento do artigo "postado" acerca do titulo supra, que se refere ao DL 111/2005, de 08 de Julho de 2005, que entrou em vigor no dia seguinte, parece que aconteceu algo muito semelhante ao meu vaticínio: é que a 1ª empresa constituída na hora,....não se constituiu, porque o legislador “esqueceu” que o acto de inscrição tributária carece de ser assinado pelo TOC que tem de colocar, qual médico, a respectiva vinheta.....
A Câmara dos TOC terá recebido mais de meio milhar de chamadas só nessa tarde, o “Povo TOC” estava perplexo, mas muito atento.
Não fosse o homem dos 25 mil euros [Sr Director-Geral das Contribuições e Impostos] a intervir, por telefone, para o CFE de Coimbra, a chamar a atenção para tal ilegalidade e a desgraça estava consumada.

Comentários

Nuno Moita disse…
Caro Felício

Um percalço não acaba com uma boa ideia e iniciativa deste governo, apesar de denotar falta de qualidade das “assessorias”
squizo disse…
Peço desclpa, por coincidência beneficiei hoje do esquema "empresa na hora" e de facto é fantástico!!.. e a obrigação de comunicar o inicio da actividade nas finanças tem um prazo de 15 dias.

A empresa consituiu-se.. sem inscrição tributária..

O Felicio ou foi mal informado ou anda distraído!!!
Anónimo disse…
Mais um Tacho para os TOC
Carlos Felício disse…
Não ando distraído. Caro amigo, o que disse foi a exacta verdade, não lhe indico a fonte como deve calcular. Mas o Nuno Moita tem razão, as assessorias em 2003 custaram ao Estado 50 milhões de contos e é só qualidade...
Anónimo disse…
Palavreado. Constituiu-se uma ova. Se só pode ter actividade após a inscrição nas finanças, para quê esta pressa toda. Ou os sócios destas empresas são bombeiros e têm fogo para ir apagar? O esquema anterior era muito melhor. Quando se saía do CFE, tinha-se a certeza, repito, tinha-se a certeza de a empresa estar constituida e inscrita em todos os sítios onde deve estar. Agora não. E os erros vão ser mais que muitos, o que significa mais chatices e conflitos. Quanto à história da celeridade é um falso problema. Criar uma empresa devia ser algo muito ponderado e responsável o que não se coaduna com correrias de espécie alguma. Já o povo diz: Quem vai por atalhos mete-se em trabalhos.
Anónimo disse…
Where did you find it? Interesting read video editing schools

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita