E depois de Londres...

Na ilha Terceira, Açores - Portugal

Todos recordamos o obsceno conceito da guerra preventiva, criado para combater o «Eixo do Mal» e a outra infeliz expressão de Bush a anunciar a «cruzada» contra o terrorismo.

Temos na memória a cimeira da guerra, reunida nos Açores, onde se decidiu, ao arrepio da ONU e da legalidade internacional, invadir e ocupar o Iraque, com base em mentiras grosseiras e interesses mesquinhos.

Mais do que um erro, a invasão do Iraque foi um crime. Mais do que a prepotência dos poderosos foi uma manifestação trágica da imponderada decisão de Bush, Blair e Aznar, acolitados por Durão Barroso, em bicos dos pés, para se tornar cúmplice.

Mas os terroristas existem e, independentemente do julgamento severo que a história há-de fazer dos responsáveis pela tragédia do Iraque, não assiste aos facínoras que em Nova York, Madrid ou Londres atacam inocentes e lançam o horror entre cidadãos indefesos, o direito à liberdade.

Os dementes de Deus são capazes de todos os crimes a troco do Paraíso. A liberdade que as sociedades democráticas conquistaram com a separação da Igreja e do Estado não pode ser comprometida pela tolerância de que gozam os pregadores do ódio, os instigadores da violência, os fanáticos de um credo qualquer.

Nas capitais europeias, no seio do comunitarismo islâmico, há agitadores que pretendem transformar o mundo numa multidão de fanáticos virados para Meca, que impedem a igualdade entre os sexos, que odeiam a democracia e execram a liberdade.

A Declaração Universal dos Direitos do Homem tem de ser respeitada e assimilada por todos. Esta é uma tarefa indeclinável das democracias que legitima e impõe o uso da força.

Carlos Esperança

Comentários

António Luís disse…
Convido os ilustres bloggers do "Ponte Europa" a visitarem o meu blog em:
http://sentidospercebidos.blogspot.com

Desde já obrigado e parabéns pelo vosso, de quem sou, de resto, assiduo visitante.

Cumprimentos.
A. Luís
Anónimo disse…
OH DR , LOGO HOJE QUE VOLTOU A ESPERANÇA, O AMIGO DEDICA-SE À ACTUALIDADE NACIONAL...IMAGINE O JORNAL DO FUNDÃO A PROMOVER A BANANA BRASILEIRA EM VEZ DE FALAR NAS CEREJAS DA GARDUNHA..
VÁ LÁ VISTA O GORRO RIUVO E METAA CIDADE AN ORDEM, FALE DOS BONS EUROBONSRESULTADOS DO NOSSO VITINHO
Anónimo disse…
http://www.fotolog.net/coimbra

Tá demais mas é só peixe miudo, e no outro era mais feijão.
não se arranja nada de bachareis, médicos e administradoras...um canudo brasileiro..ou uma coisa preto na branca...um jantarinho mais lilás... uma galeria com todos ...nada...tudo pra sede vasculhar nas sobras das campanhas
Mano 69 disse…
Há sempre um mas que estraga a esperança.
Anónimo disse…
hummm...

Cheiram-me que todos vós têm o tal pensamento único!

tolerancia tolerancia...
Imigração Imigração
multicultural
multicultural

ARRASTÂO?
isso nunca aconteceu...etc...

Epá, os árabes querem ver o local onde vivem islamizado, seja ele londres...ou lisboa!

portanto ou aceitam este facto...ou tolerem!
Ao anónimo das 2:23 AM:

É verdade que os árabes (nem todos) querem ver o seu local islamizado. O Papa quer ver as Constituições cristianizadas e os judeus ortodoxos querem ver a Palestina judaizada.

Só há uma forma de o impedir - impor a laicidade. A separação da Igreja e do Estado é a única vacina.

O Vaticano não tem sido diferente da Arábia Saudita.

Bush não é muito diferente (em questões de fé) dos mullahs islâmicos.
Mano 69 disse…
Bolas Carlos Esperança, você quando começa a fazer analogias ninguém o para.
É forma ou feitio?

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975