Um problema chamado Jardim

Há pouco, ouvi na TSF o inefável Alberto João Jardim, com voz normal, aparentemente sóbrio, claramente insuportável.

Apelidou de golpe de Estado constitucional as últimas eleições legislativas, atacou o «PSD do Continente», insultou o Presidente da República e continuou com diatribes que a mudança rápida de emissora me permitiu interromper.

Se não há autoridade para submeter à legalidade constitucional o sátrapa da Madeira, eu não estou disponível para continuar a tolerar um indivíduo que duplicou a dívida da Região Autónoma em dois anos e permanece intocável na sua irresponsabilidade.

Desafio os partidos políticos e o poder central a imporem a legalidade constitucional no arquipélago da Madeira. Doutro modo reservo o meu voto para o primeiro partido que proponha um referendo para a independência total do Continente em relação à Madeira.


Carlos Esperança

Comentários

Anónimo disse…
Realmente é um problema com o qual eu não vejo os politicos do continente preocuparem-se nomeadamente o Presidente da República, e faz esse jardim parte do conselho de Estado, isto é mesmo uma república das bananas! A minha forma de prostestar contra esse senhor é recusar-me a visitar a Madeira enquanto o tiver como Presidente regional. não vou à Madeira desde 1975.
Anónimo disse…
E os partidos que sustentam a democracia não são capazes de submeter o titre insular?

TODOS somos responsábeis por ter criado aquele insolente governante.

Há uma forma fácil de o submeter - cortar-lhe a mesada.
Anónimo disse…
OH DR ESPERANÇA, POLITICOS QUE BEBEM UNS BONS TINTOIS TEM EM TODOS OS PARTIDOS, ATÉ NO SEU E ATÉ EM COIMBRA

QUANDO DEITAM ABAIXO O JARDIM ESTÃO A CHAMAR ESTUPIDOS A MILHARES DE MADEIRENSES QUE VOTAM NELE

SERÁ QUE OS ELEITORES ANDAM ENGANADOS DURANTE TANTOS ANOS
Ze esterco disse…
ó pá eu concordo com as opiniões de muitos anónimos que por este blog redigem comentários...mas não compreendo porque são anónimos....mostrem a cara ou têm medo que ela seja feia?? ou que estejam a falar mal do vosso partido por isso não gostam de se expor...que raio de politicos(e de politica) são estes quesó fazem as "coisas" pelas costas..e que são cobardes ao ponto de se refúgiarem numa palavra "anonimo"..tenho (muita)pena mas enfim...
Ricardo Alves disse…
Independência, não.
Temos é que revogar a autonomia da Madeira e dos Açores. Só a República e os Municípios. Fim dos Governos Regionais, já!
Ze esterco disse…
Voces estão a dar ao João Jardim o que ele quer(fama)...ele porta-se como um menino de colo que quando não se dá atenção faz birra e voces só contribuem para que ele continue...parem de lhe dar importância...
andrepereira disse…
Não penso que a independência esteja em cima da mesa. Aliás, nem é positivo falar de matérias tão sérias com alguma ligeireza.
Importante é reforçar a democracia na região e dar votos à oposição. Não nos esqueçamos que nas últimas legislativas já ficou 3 PSD -3 PS. Foi um balde de água fria naquele político bárbaro. Claro que ele foi quem mais perdeu a 20 de Fevereiro. Tinha um fantoche Santana a primeiro-ministro e uma maioria parlamentar que dependia dos seus 4 deputados, não esqueçamos... Aquela bizarria que nos atrasou durante 3 anos era uma coligação a 3. PSD, CDS E PSD-MADEIRA...
Agora, espero que Sócrates feche a torneira àquele fala-barato e caluniador.
Anónimo disse…
André Pereira e Ricardo Alves:

Claro que não está em causa a independência. As manifestações de raiva conduzem a despautérios parecidos com a insolência do régulo insular.

Quando falo em autodeterminação para o Continente é uma forma de me fazer ouvir num assunto que TODOS fingem ignorar.

Sá faltava o racismo como nódoa que envergonha Portugal e os portugueses. Até esse defeito acrescentou aos outros.
Mano 69 disse…
Olha, olha o rapaz de Cucujães já voltou.
Anónimo disse…
ó zé esterco:
sabia que a luta contra poderes instituidos teve de se fazer na clandestinidade ? sabia que há militantes de partidos que por dizerem oque pensam e por criticarem poderes e interesses instalados são prejudicados como se fossem esterco? são mais prejudicados que os concorrentes e adversários políticos. já compreende porque é que há tantos anónimos. senão pudessem escrever assim nada diriam como fazem dentro dos partidos que fazem parte
Ze esterco disse…
Caro anónimo das 5.09:
Felizmente que não pertenço a nenhum partido...mas acho se as suas ideias em relaçãoa um determinado temo são tão diferentes das do seu partido..voce não faz parte (no verdadeiro sentido da palavra) desse partido. Pode escolher esse partido para o seu voto porque concorda mais com a opinão de X do que de Y mas dai a tornar-se militante de um partido com o qual não tem (quase) nenhuma comunhão de ideias acho mal...cumprimentos...e se os partidos são assim tão democraticos porque "açoitar" os militantes quando eles têm diferentes ideias???
Anónimo disse…
Cool blog, interesting information... Keep it UP here

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?