Terrorismo religioso (2)


Washinton Times

Tradução do artigo de Diana West (July 15, 2005)

«Apenas uma fé na terra pode parecer mais messiânica do que o islão...o multiculturalismo

Sem ele - e sem os fanáticos que acreditam que todas as civilizações são idênticas- este motor que projecta o islão para o desprotegido coração da civilização ocidental irá falhar e parar. É tão simples como isto.

Conviver entre os crentes- os Multiculturalistas- é observar o assalto, a jihad (guerra santa), tomar lugar, sem ser repudiada pelas nossas sociedades suicidas. Estas sociedades estão condenadas a se submeter: ou antes eles estão prontos para o fazer em nome de uma tolerância masoquista que, á falta de medidas drásticas é terminal.

Eu não estou a falar dos nossos policias, soldados, ...e agora, mesmo condutores de comboios que heroicamente e rapidamente arriscam as suas vidas pela sociedade no estrangeiro e aqui em casa. Eu estou a pensar naquilo que somos como sociedade neste algo avançado ponto da guerra.

É estranho, em que civilização nos tornámos, com lideres que prometem "sem rendição" mesmo quando tentam desviar a identificação do inimigo. 4 anos depois do 11 de setembro, nós continuamos a esconder o terror, mesmo quando nos referimos a "uma ideologia do ódio" é um argumento de um filme que está mais próximo de fantasia cientifica que de realpolitik (política real?), e não existem efeitos especiais que poderão anular o terror e ódio no metro de Londres, mais do que aconteceu no terraço do WTC. Ou no clube em Bali, Ou no 1º dia de aulas em Beslan. Ou em qualquer disco, autocarro ou centro comercial em Israel.

Sacos de plástico (para mortos), mascaras de queimadura e próteses não são melhores protecções que o sonhar.. Mas estas armas, segundo alguns poderes são suficientes. Estes e uma multitude de miras telescópicas, scanners desenhados para identificar retinas e impressões digitais, ou para detectar explosivos e metais

- ultimamente, eu penso, quando nos introduzimos na porta automática do supermercado:
"Que estranho, embora nós arranjamos maneiras de nos vermos por dentro nos nossos elementos mais básicos, nós prevenimos a nós próprios de olhar directamente para o risco posto pelo islão."

Tomem nota que eu não disse islamistas ou islamistas fascistas ou extremistas fundamentalistas eu tentei usar estes termos no passado, mas eu achei estes artificiais e confusos, e talvez é de propósito. por causa da impressão que estes de dar uma pequena amplitude a um grande problema:

A grande incompatibilidade do islão
- A força religiosa que diminui a liberdade, esta nossa liberdade permite uma moderada ou extremista jihad. Estou certa? quem o pode dizer?
O tópico fundamental da islamização é proibido aqui e muito proximamente na Europa - (não poderemos falar sobre este tópico um dia destes)

Uma fuga de um report (trabalho dos serviços secretos) inglês diz que o Tony Blair foi avisado no ano passado com frases do esitlo:
"expressões de preocupação com o fundamentalismo islâmico" ((outra dos tais termos amorfos e sem significado) porque muitos muçulmanos moderados seguem ensinamentos tradicionais muçulmanos e podem julgar essas expressões como algo de negativo na sua abordagem á sua fé

Melhor observar túneis subterrâneos cheios de partes corporais em silencio. Como Simon Jenkins do «London Times» escreveu:
"a resposta sã é observar o terrorismo urbano como um acidente que não podemos escapar."

Eu não estou a discutir das raízes do terror islâmico...

em não aprender os porquês, o clérigo multicultural (exemplo a nossa media) que educam os nossos lideres previnem a gente de fazer algo sobre o problema, esta é a chave, porque qualquer acção séria...

exemplo:
PARAR A EMIGRAÇÂO DE NAÇÔES APOIANTES DA JIHAD, fechar mesquitas que pregam violência, expulsar os imãs.

Isto significava renunciar ao credo multiculturalista no ocidente, isso é o maior pecado. e enquanto a penalidade não é a morte- Como o é abandonar o islão na lei islamica- a crise existencial é para ser evitada a todo o custo..mesmo com extinção!

Esta é a lição nas atrocidade de londres. E não me parece que este sec 21 irá se lembrar que o novo ocidente encruzilhada da jihad mundial foi outrora casa de churchill, piccadilly e sherlock holmes. mas...quem reparará nisso?

A TV BBC retirou a palavra terrorista da cobertura do ataque, o porta voz da policia de Londres declarou:
"islão e terrorismo não andam juntos"
E com algum trabalho de pesquisa no lixo deixado um padre anglicano preveniu o seu rebanho como o repórter do «Guardian” noticiou:
"para vibrar na capital da riqueza de culturas, tradições e grupos étnicos e fés" mas não lhes chames de muçulmanos”. »


(Traduzido por DINIS)
Nota:
1 - Esta tradução que se deve a um amável leitor do «Ponte Europa» é um ponto de vista que serve para o confronto dialéctico das várias posições. Já Demóstenes, há mais de 24 séculos, dizia «devem ouvir-se igualmente ambas as partes».

2 – Limitei-me a corrigir gralhas insignificantes.

3 - O leitor deixou de ser anónimo.

Comentários

Anónimo disse…
podes usar o nome de dinis...

Obrigado por meteres a minha tradução no blog para discussão futura.

Dinis.
Só no confronto de várias posições é possível uma opinião informada e bem sustentada.
Anónimo disse…
"Os ingleses deram uma notável lição de civismo e estiveram à altura dos elevados padrões civilizacionais que os exornam."

Será?
Ou foi mais o...Comeram e calaram!
Anónimo disse…
Desculpem, não me identifiquei no anteiror post...

Dinis
Anónimo disse…
Tás desculpado...
Mano 69 disse…
Para o Anónimo das 12:07

Se soubesse um pouco mais de história do Reino Unido saberia que os seus habitantes são pouco de comer e calar. Quer um exemplo do séc. XX? A guerra entre o RU e a Argentina derivado ás Falkland.
1313 disse…
Fanáticos, ele há fanáticos. Ele há fanáticos para tudo. Vêm de todas as cores e botam faladura do tema da moda. Eu acho assim e eu acho assado, penso eu de que. Há até fanáticos do dissecar do fanatismo.
Valha-nos deus.
Anónimo disse…
1313...
achas então que um americano ou inglês não tem direito de questionar os porquês dos massacres a civis desprotegidos?

Senhor 1313, Se gosta de liberdade tenha consciência que sem segurança não existe liberdade.

As pessoas do reino Unido são menos livres neste momento senhor 1313.
Acho que se questionar os porquês...

Se acha melhor falar de futebolada ou do chelsea/benfica...faça favor!

"se soubesse um pouco mais de história do Reino Unido saberia que os seus habitantes são pouco de comer e calar. Quer um exemplo do séc. XX? A guerra entre o RU e a Argentina derivado ás Falkland."

Sim e digo-lhe que esse tipo de guerra, os ingleses ainda se mexeiram..mas o problema é que a ameaça é interna, sabes e com a treta do politicamente correcto já nem podem apontar o inimigo...

Dinis
1313 disse…
Caro C. Esperança, abusando da hospitalidade do seu berloque tomo a liberdade de (tentar) responder ao comentário anterior


Para o Dinis,

Um atentado à bomba, ou qualquer outra acção que tire a vida a civis inocentes é, evidentemente, um acto condenável, seja lá em que parte do mundo for.
E o cidadão inglês, turco, argelino, chileno ou paraguaio, mais que um direito, tem a obrigação de indignar-se.

Por amor de deus não me entenda mal, amo muito a liberdade e a segurança, e deus nos livre dos terroristas, valha-nos nossa senhora.
Mas, deus nos guarde ainda mais, e proteja dos fanático$ e da$ religiõe$ que estão na géne$e desta "perda de civilização" que temos vindo a acompanhar pelo satélite que ilumina a aldeia.

Cruzes canhoto, te arrenego ... etc...
Mano 69 disse…
Para trás Satanás!
Anónimo disse…
hum...
parece que os aderentes do politicamente correcto, ou não têm argumentos...ou sabem que estão errados...

Mano69, faz um esforço e comenta este post, se não fores capaz eu compreendo o politicamente correcto subiu-te á cabeça!
Mano 69 disse…
O politicamente correcto não me subiu à cabeça, pois eu até sou daqueles que não dizem anão mas sim “pessoas de crescimento restrito”.
cparis disse…
carlos esperança,

há alguns posts atrás falavamos sobre este assunto. recomendo-lhe agora esta leitura:

«Os atentados terroristas do 11 de Setembro começaram a ser preparados ainda Bill Clinton ocupava a Casa Branca. Ocorreram em 2001, antes da guerra para derrubar o regime de Saddam Hussein.
É necessário lembrar estes factos, porque, ouvindo alguns discursos sobre os atentados terroristas de Londres, dá ideia de que a “legitimidade” das bombas assassinas resulta da guerra do Iraque, que o terror da Al-Qaeda é a legítima ou, pelo menos, explicável revolta contra essa guerra, em particular, e contra o imperialismo americano e os seus aliados, em geral.
(…)
Os objectivos do terrorismo islâmico são políticos. Os seus mentores têm uma ideologia e uma estratégia. (…) Não tem nada a ver com a pobreza no mundo e com as injustiças da globalização.
(…)
O objectvo da Al-Qaeda é dividir as democracias, quebrar a aliança entre a Europa e os Estados Unidos, virar as suas opiniões públicas contra os governos que apoiam o Grande Satã americano.
(...)
Se querem vencer no longo prazo a guerra contra a ameaça terrorista, as democracias têm de ter uma estratégia para o mundo islâmico. Que não é a capitulação perante a chantagem do terror, nem, muito menos, a eterna culpabilização pelos males do mundo. (...) O tremendo desafio que as democracias enfrentam (...) é o desafio da democratização do mundo islâmico (...)», Teresa de Sousa, Público, 19 de Julho de 2005, p. 6
Anónimo disse…
O politicamente correcto não me subiu à cabeça, pois eu até sou daqueles que não dizem anão mas sim “pessoas de crescimento restrito”.

Bom, então as pessoas que discordarem de si são pequenas?
é isso que quer dizer?

Miséria...Democratas falsos!
e podres!
Anónimo disse…
"O tremendo desafio que as democracias enfrentam (...) é o desafio da democratização do mundo islâmico (...)», Teresa de Sousa, Público, 19 de Julho de 2005, p. 62"

Utopias...como se fosse possível democratizar o islão...
São coisas incompativeis, ou tu és seguidor do islão..ou não.

Isto porque no corão não há diferenças entre poder politico e religioso.
Pelo menos é isso que a maior parte dos "eruditos" islamicos concluem...

Portanto democracias ao estilo ocidental são IMPOSSIVEIS.

Também porque as nossas democracias são tolerantes ao ponto de tolerarem fanatismo e intolerância.
Portanto....
A coisa está PRETA!

Dinis (o anterior post também era meu)
Mano 69 disse…
Para o anónimo das 10:48 PM

Essa foi boa, muito bem apanhada, mas já agora deixe lá estar que está quentinha.
Anónimo disse…
Se consideras os outros por terem opiniões divergentes pequenos...és um verme...

Ainda para amis nem sabemos a tua posição neste assunto.

És apenas do contra?
Tenho pena de ti ser corrupto e influenciável, que não pensa por si mesmo!

Dinis.
Mano 69 disse…
Dinis o que é que eu posso dizer?
Não se mortifique que não vale a pena e tem é que começar a ler nas entrelinhas. Está bem?
E já agora escreva no WORD. Ajuda muito.

Um abraço bem apertado tipo Nuno Salvação Barreto.
Anónimo disse…
é... tenho a mania de adicionar o s nos verbos que estão na 2ºpesssoa do singular...
o word não corrige...

Se não compreendes os meus textos porque têm gralhas...bem

...mas por certo não são de dificil compreensão...ou serão?

Dinis
Anónimo disse…
novamente cometi outro erro..
compreende...
lol
tenho mesmo a mania de usar o "s" final.

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita