Expresso - 1.ª página

Gastos milionários na GALP

«UM QUADRO superior contratado pela Galp quando António Mexia assumiu a administração, em 2002, recebeu uma indemnização de 290 mil euros para sair da empresa, apenas dois anos depois de ter entrado. Este quadro acompanhava Mexia desde que este era responsável pela Gás de Portugal - e negociou o contrato com vários anos de antiguidade, que acabaram por lhe dar direito ao elevado montante. Poucos dias depois de Mexia sair da Galp para o Governo, o mesmo quadro foi admitido (com a indemnização no bolso) na Refer, uma empresa tutelada pelo seu ex-patrão».
Gastos milionários na GALP

Infelizmente não posso remeter os leitores para a 2.ª página (link indisponível), onde o artigo de Graça Rosendo e Valentim Marcelino denuncia o estado a que o nepotismo e as «regalias de luxo» conduziram as empresas com capitais públicos - um antro de prebendas e sinecuras onde o cúmulo é um contrato em que o feliz contemplado no primeiro dia de serviço já conta com quinze anos de antiguidade.

É natural que em 10 anos possa haver quadros, com nomes sonantes, que acumulem dois séculos de trabalho.

Não aceito que o actual Governo permita que o regabofe continue. É da sua coragem a pôr cobro a semelhantes enormidades que depende a confiança e o apoio que lhe prodigalizo.

Sei que uma legislatura é curta para corrigir os três anos de PSD/CDS e dessantanizar as injustiças de que Portas e Bagão Félix foram largamente cúmplices.

Comentários

Eu finjo que sou ceguinho disse…
é um fartar...a isto dever-se ia chamar pirataria.....
Mas o que mais preocupa é haver para ai uns Sr alguns ate se dizem de esquerda,mas eu não acredito,que dizem que isto é inveja ou agora uma coisa que está na moda "populismo de direita".
Se denumciar isto é ser de Direita então meus caros Eu sou mesmo de direita.......

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975