A realidade ultrapassa a imaginação?


Clique para aumentar

Comentários

Anónimo disse…
Nesse tempo ainda não havia outras tetas como aquela que alimenta reformas.
E alguns tem sugado a fartazana,e viva a democracia.
Anónimo disse…
Caro anónimo:

Se se refere à reforma de Manuel Alegre talvez o desmentido não valha menos do que a calúnia.
Anónimo disse…
essa não percebi quer explicar melhor?
Anónimo disse…
Não procures esconder nada ; o tempo vê, escuta e revela tudo.

SÓFOCLES (491 a.C. -406 a. C.)
Anónimo disse…
O homem comum é exigente com os outros; o homem superior é exigente consigo mesmo.

Marco Aurélio (161-180)
Anónimo disse…
De antologia.
A prova provada da categoria dos anteriores sumidades que andaram a fazer de ministros da educação.
A prova provada da necessidade da continuidade da actual Ministra.
Que tenha a paciencia de ir aturar os deputados de tempos a tempos.
Anónimo disse…
isto não é prova provada de nada esta historieta já tem "barbas",e muito brancas como as minhas.
Anónimo disse…
ainda crescento mais vem do tempo em que era destribuido pelas aldeias leite em pó e queijo e farinha em 1960 ajudas internacionais , presumo que o quijo era holandes veja lá os anos que tem a história essa sim real porque o miudo que a escreveu recebia leite em pó dado pelo Sr Prior pois era distribuido muitas vezes por estes "o fim era assim e o Sr prior tambem dá leite mas esse é em pó"
Anónimo disse…
falemos é de outras "tetas"
Anónimo disse…
o Bobo:

Olhe que talvez se engane. Eu também conheço uma história parecida, dessa altura, mas em 1960 ainda não havia escolas básicas.

O papel timbrado pode servir para uma falsificação mas não seja tão determinado a acoimar de falsa uma coisa que, até, pode não ser.

Quanto à ministra da Educação, partilho a opinião e os termos do leitor BM.
Anónimo disse…
não eram basicas mas primárias caro C.E.
Anónimo disse…
em 1960 havia escolas primárias, colégios particulares nalgumas vilas e os velhos liceus publicos nas cidades.

Quanto a posição desta ministra claro que estou de acordo na globalidade havendo aspectos que apenas pecam por tardios , fruto de vários devaneis pedagogcos que aos poucos se vão aproximando da realidade,
Acho que muito do mal deste país foi torna-se no "oito e no oitenta" agora perde-se tempo e muito a procurar o equilibrio.
Anónimo disse…
e o desmentido vem ou não?
Anónimo disse…
O bobo:

Peço-lhe que não se incomode a dizer-me como era o ensino nessa altura pois fui professor desde 1961 a 1971 e aluno de vários graus de ensino, com excepção das escolas técnicas (comerciais e industriais). Os Liceus eram distritais e chamavam-se nacionais.


Além disso participei em actividades sindicais (antes de Abril) e integrei comissões pedagógicas com representantes de todos os graus de ensino.

No entanto, repare no timbre do papel e na data.

Pode ser falso mas, a menos que seja um perito, não poderá com tanta pressa negar a autenticidade.

Quanto à apreciação da ministra e ao atraso de anos das medidas também estou de acordo.
Anónimo disse…
onde D. Sancho vê moinhos
D. Quixote vê gigantes
Vê moinhos são moinhos
Vê gigantes são gigantes.


Acho no entanto irelevante a autenticidade do documento para o caso em apreço(baixo sucesso escolar)esse é um facto irrefutavel e uqe tem vindo a guindar o nosso pais para niveis muito abaixo da média europeia o que é preocupante, dai ser urgente uma Ministra que como a actual parece estar finalmente no bom caminho introduzindo uma cultura de responsabilidade junto dos diversos agentes(professores, alunos e pais),só assim se conseguirá vencer o laxismo que tem grassado.
Mas esta é uma discussão que daria pano pra mangas, como outras neste País que urge que sejam feitas pela sociadade civil.
Por isso temos que ser mais interventivos e mais criticos junto dos nossos politicos.
Como dizia Churcill a politica é um assunto demasiado sério para ser deixado só aos politicos.
Anónimo disse…
O bobo:

Estou de acordo com a substância do que escreveu.

Quanto a Churchill, ele referiu-se à guerra e aos militares ;-))
Anónimo disse…
A politica é uma guerra sem efusão de sangue e a guerra é uma politica com efusão de sangue.

Mao Tsé-Tung
Anónimo disse…
É assim que vai o nosso ensino, graças a esta desgraça da ministra da educação que temos (a pior desde o 25 de abril)
Anónimo disse…
não diga que a ministra agora tambem ensina....
Anónimo disse…
1 - Em 27 de março de 2003 ainda não era ministra a actual titular;

2 - Não cabe aos ministros da Educação ensinar a ler e escrever;

3 - A animosidade política não deve fazer perder a serenidade.
Anónimo disse…
Very pretty site! Keep working. thnx!
»
Anónimo disse…
I really enjoyed looking at your site, I found it very helpful indeed, keep up the good work.
»
Anónimo disse…
This is very interesting site... film editing schools
Anónimo disse…
Very nice site! »

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime