No Iraque foi tão fácil...



«Coreia do Norte lançou quarta-feira sete mísseis suscitando a preocupação do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

A Casa Branca advertiu hoje ser muito difícil uma solução imediata para a crise norte-coreana ou um acordo rápido entre os Estados Unidos e os seus parceiros sobre a questão».

Comentários

Mano 69 disse…
E não se pode exterminar o grande arquitecto?




P.S.: Onde se lê arquitecto deverá ler-se líder.
Obrigado
Anónimo disse…
A situação não é fácil.

Parece-me que, no Extremo-Oriente, não há "patrão".
A China tinha solicitado (pelo menos anunciou) à Coreia do Norte que não procedesse às experiências com mísseis.
De nada valeu, o que leva a pressupor uma influência relativa da China neste País.

Por outro lado, é cada vez mais visível que a China opõe-se a sanções contra a Coreia do Norte.

Um autêntico embróglio nesta área do Mundo.

Todavia, ressalta um facto. O polícia do Mundo (EUA) tem cada vez mais dificuldades em impor-se no Extremo-Oriente.
Começa a impôr-se, aí e ao Mundo, o País do Dragão - que já foi da Paz Celestial.

Bom ou mau prenúncio?
Que novos equilíbrios vêm a seguir?
Anónimo disse…
A América tem a artilharia toda ocupada nos atoleiros onde se meteu e onde cheira a petróleo.
O grande lider sobe a parada do bluff.
Os grandes timoneiros aproveitam e fazem os seus jogos malabares.
O Japão e a Coreia assustam-se, com alguma razão.
Mas tudo está ainda na fase das eliminatórias. E também eles não chegarão à final.
Essa é entre os índios da China e os cobóis do Texas. E já tem resultado definido. Só que entretanto acaba-se o petróleo, e o jogo muda de tabuleiro.
A malta toda vai voltar à horta, a regar as alfaces, que o planeta não é o da Joana.

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime