«Grandes Portugueses»

Vi ontem na comunicação social que a deputada Odete Santos defendeu Álvaro Cunhal.

Um tiro no pé. Três boas razões para ter enjeitado semelhante tarefa:

1 - A sua defesa caucionou um concurso onde os nostálgicos concentraram telefonemas;

2 – Deixou colocar ao mesmo nível o carrasco e a vítima;

3 – Defendeu alguém que, para além da resistência heróica ao fascismo, pretendia um modelo de sociedade que não é seguramente a segunda opção dos portugueses e, muito menos, a primeira.

Comentários

Anónimo disse…
GRANDES PORTUGUESES...

É evidente que a Odete não podia dizer outra coisa ... e estar calada também não é o seu estilo. Entre as duas figuras do post reconheço mais dignidade ao Álvaro...

Zézé
e-pá! disse…
Ninguém percebe porque motivo Odete Santos e/ou o PCP se meteram nesta rábula... contribuindo, deste modo, para a sua inusitada relevância.
Em minha opinião, apesar dos condicionalismos que o povo português sofreu ao longo da sua história, temos muitos (provavelmente mais do seria expectável) GRANDES PORTUGUESES.
O que é preciso é dá-los a conhecer, estudá-los e entender a sua verdadeira grandeza.
A TV será um dos meios para promover essa divulgação.
Para andar a brincar aos "rankings", NÃO!
Anónimo disse…
na Madeira, continua o escândalo:

http://bicicletaderecados.blogspot.com/2007/03/madeira-2.html
e-pá! disse…
Adenda:
Ler post sobre "Grandes Porugueses" em: http://margensdeerro.blogspot.com/
Anónimo disse…
Álvaro Cunhal foi um "grande português", deu tudo ao país, não olhou para o seu umbigo, como os políticos d'hoje...foi honesto,sacrificou-se pelos seus ideais, convicto que nesses ideais, estava o melhor para o povo português.

Os socialistas do PS que nos governam, deviam olhar para Álvaro Cunhal, como um exemplo.

O ideal de Álvaro Cunhal não morreu...
jrd disse…
Os fascistas estão calados e interiorizam disfarçadamente o gozo, até porque prevêem que em breve vão poder dar largas à sua "liberdade" de forma institucional.
Em contra-partida os Democratas, mal refeitos do murro no estômago, continuam a lamentar-se em voz alta.
Nesta história, há muita gente que não se enxerga (ou), a começar pelo PCP que, ingenuamente, quem diria, participou nesta pimbalhada.
Para mim a rábula acabou e o vilão está morto e bem enterrado. espero eu...
Braveman disse…
não sou nem de perto nem de longe salazarista, mas como o senhor anónimo descreve Cunhal, serviria Igualmente para Salazar
ana disse…
Salazar está morto e enterrado. Nada vai acontecer, porque meia dúzia de velhos salazarentos e uns quantos meninos mal criados (donde vêm, quem os educou?) não têm, felizmente, qualquer representatividade.são muito activos nos blogs e nas votações, mas quando têm de dar a cara amedrontam-se, porque lhes faltam os argumentos e porque são cobardes .sempre foram, de resto. gostam mais de trabalhar pelas costas.e não embandeirem em arco, anónimos salazarentos. se puserem as unhas de fora em demasia, cá estarão os que não têm nenhumas saudades de salazar para vos lembrar como elas se recolhem.
Anónimo disse…
Salazar e Cunhal: a mesma luta.
E o mesmo destino: ambos para a Sibéria, já!
«O ideal de Álvaro Cunhal não morreu...»

RE: Mas o modelo de sociedade, sim.
jagudi disse…
Já deu para perceber que, em sondagem minimamente séria, as escolhas são pacíficas e compreensíveis.
Quer dizer que não se justifica tamanho alarido, à volta do que foi apenas uma cretinice dos aprendizes de feiticeiro da televisão. Estatal, ainda por cima.
Deixemos assim os fascistas em sossego, neste seu momento íntimo de prazer solitário.
E a propósito de televisão estatal, os portugueses têm o direito e o dever de perguntar aos seus gestores, a que propósito se vem dedicando o melhor do dia de hoje à promoção da superstição mais imbecil, lá porque faz cem anos que a um espantalho que dá pelo nome de 'irmã lúcia' aconteceu não sei o quê. Ele é de manhã, ele é à tarde, espero que não seja também à noite, em directo do 'santuário', ouvindo pítias de agoiro duvidoso, explanando milagres de plástico, acenando bençãos improváveis, dando voz a sotainas farisaicas, com dois 'apresentadores' hipócritas babando-se de gozo fingido, enquanto vão trocando emoções místicas com figurões de moral duvidosa.
Os portugueses não pagam a televisão para isto. Chega de canalhice. E de fretes à igreja católica. Os portugueses têm o direito de ser umas bestas quadradas e primárias, se muito bem lhes apetecer e lhes for à natureza. Mas não porque os condicionam, não porque lhes lavam o cérebro, não porque os infantilizam, não porque os impedem de ser gente.
O estado é laico, a televisão não serve capelinhas.
ana disse…
boa, jagudi
é tudo verdade
J Sousa disse…
Caro jagudi
Não sei se já reparou que a RTP anda a transmitir coisas sobre Fátima todas as tardes, e que vai promover as comemorações do nascimento ou da morte (não sei bem) da irmã (deles) Lúcia
Anónimo disse…
http://abnoxio.weblog.com.pt/arquivo/2007/03/os_portugueses_almerindados_sa#comments
André Pereira disse…
Fátima,Fado e Futebol!
Anónimo disse…
Salazar, tralha velha e saudosismo.
Isto ainda vai acabar mal.

os f**** d* p*** fascistas não podem tomar de assalto o poder.
Anónimo disse…
Pois não.... já lá está um...

eheheheheh
Mnauel Norberto Baptista Forte disse…
A forma de defesa referida, não foi a mas adequada.
"Tiro no pé"." Quantos mais já não o(s) deram, e com graves consequências na Governação do País?.
Odete Santos, não estará a viver um dos seus melhores períodos políticos. Pessoa de elevado grau intelectual e de afável trato, merecria ser mais "resguardada", e não, se calhar deliberadamente exposta, a estas tiradas. A política como a Odete sempre a viveu (com profunda convicção e empenho), deixa . . . mossas.
O legado da sua conduta e sapiência, deveriam merecer mais respeito por parte de que com ela mais amiudadamente privará.
Mano 69 disse…
O jagudi está com um desarranjo intestinal terrível, até as ideias já sofrem com isso.

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido