Quem nos acode?

Obras adjudicadas no dia da demissão
Alberto João Jardim diz que cumpriu a lei

Alberto João Jardim aprovou obras no valor de 130 milhões de euros no mesmo dia em que apresentou a demissão. O presidente do Governo Regional da Madeira diz que cumpriu a lei.

Comentários

Mnauel Norberto Baptista Forte disse…
O que é o Prof. e o Engº, (!?), têm a dizer disto? Silêncio?; não acredito.
bm disse…
Tudo legal, tudo conforme com a lei.
Houvesse vontade.
E não tivessemos juízes sujeitos a uma certa deformação profissional.
Quizesse o Tribunal de Contas assumir as suas responsabilidades.
Participar deste senhor. Levá-lo a julgamento e fazer anular estes negócios.
Neste caso, como no dos autarcas acabado de vir a público, em Lisboa e arredores.
Se me disserem que não há legislação para isso, então batatas.
É porque haver ou não haver CRP, é a mesma coisa.
Digo, independentemente de reconhecer muita da boa obra do mesmo senhor na sua ilha.
Anónimo disse…
Sobre esta personagem, AJJ, já nem vale a pena fazer comentários...se a democracia, é isto, venha a independência das ilhas, já.
e-pá! disse…
Segundo li na imprensa a situação ainda é mais grave. A acta da reunião do governo regional ficou EM ABERTO ! de modo a poderem, futuramente, ser acrescentadas outras decisões (adicionais).

Quanto às recomendações do PR sobre os actos de um governo regional em gestão de assuntos correntes, já foram publicamente,
escarnecidas.

Cada vez mais é nítida a estratégia de Jardim. A balela da redução do orçamento não permitir cumprir o programa de governo, é para inglês ver e para apresentar ao Conselho de Estado.
Na realidade, AJJardim pretende referendar regionalmente uma Lei da República. Isto não é grave, é gravíssimo. Constitucionalmente e, também, pelo que tentará a seguir: a desobediência civil...

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido