Quem nos acode? (2)

Milionários em empresas municipais
€€€
Os gestores municipais são nomeados sem critério, não fazem declaração de rendimentos e, em muitos casos, recebem muito mais do que o permitido por lei. Para além disso, beneficiam de regalias, como cartões de crédito e telecomunicações, sem que tal esteja previsto na lei.
Comentários: Para que foram criadas as Empresas Municipais?
1- Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Coimbra não funcionavam bem sob a direcção de um funcionário? Era pior a água? Era tão cara? Beneficiaram os funcionários ou os consumidores?
2 - Não será um caso de polícia o pioneiro da privatização das águas municipais, Ministro dos Santos (Mafratlântico): 8800,00 euros (ganha) / 3037,13 euros (devia ganhar) / + 189,75% (diferença)???

Comentários

Anónimo disse…
Por falar em empresas municipais... A Empresa Municipal de Turismo de Coimbra sempre avança? Qual foi o pretexto da sua criação? Ainda não percebi. Vão mudar o quÊ?

Expliquem-me como se fosse muito burrrrro.

Ah já sei. Vão inaugurar, à nossa custa mais um edifício, em nome do turismo.

Inaugurações e despesismo é a única competência dos incompetentes. Aí são bons.



E os três gestores e o director executivo, que nada têm a ver com o turismo, quanto irão ganhar?

Bem, se os contribuintes nada têm a dizer ao descalabre que se paga a esta gente toda, ou é porque são um povo contribuitivo muito ignorante e cego ou estão contentes com o que têm.

Mas, eu já não acredito em »Pais Natais», muito menos em Politicos, vulgos «proxenetas do povo».
Concordam ou discordam???

Ainda sobre a emblemática e empreendedora Empresa Municipal de Turismo de Coimbra.

Ainda gostaria de saber quantos euros desmbolsaram os contribuintes pelo
Estudo técnico e económico/financeiro da empresa municipal de turismo de Coimbra, 2003-2004, realizado pela empresa CNS (Companhia Nacional de Serviços SA), mencionado na página deles....

Aposto que foi uma quantia choruda... Não são os que encomendam que pagam, mas, os tansos dos contribuintes.


vá lá atrevam-se a serem críticos...

Mostrem que sabem usar os neurónios e não tem cordeis a puxar pelos movimentos suspeitos...

Gostaria que se atrevessem a comentar
Caro leitor:

Estou de acordo, na generalidade, com o seu comentário.

Apenas não aceito a generalização que faz:
«Mas, eu já não acredito em »Pais Natais», muito menos em Politicos, vulgos «proxenetas do povo».
Concordam ou discordam??? »

Aqui discordo totalmente. Conheço gente muito séria em todos os partidos. E não é por demagogia que o afirmo.

E, sem políticos, não há Governo e, muito menos, democracia.
Anónimo disse…
Talvez tenha generalizado. mas, se o fiz foi para não ofender certos proxenetas, em particular.
Democracia ou teatrocracia? eis a questão, históricamente, cronologicamnete falando.
bm disse…
Lamentàvelmente,ou talvez não, o PREC teve de ser travado à bomba - emissor da Radio Renascensa na Buraca (Nov75).
Agora, e com a redução geral de rendimentos na classe média e função pública, como travar estes vigaristas?
Até o nome ajuda: «Ministro...» em Mafra.
A propósito, quem é o Ministro da tutela?
Que vai fazer?
Ou ainda não basta o que ainda não fez?
Anónimo disse…
Miserávelmente, os que mais se amanham, são os políticos de 2ª linha, aqueles que são nomeados, por indicação partidária, para as empresas públicas, municipais ou de capitais públicos...estes "abutres" fazem autênticos saques.

Até quando, vamos permitir esta situação ?
bm:

Segundo juristas meus amigos só o roubo pode ser punido, os vencimentos e o direito de criar estas Empresas municipais estão na lei.

Hoje, o poder autárquico e o regional da Madeira e Açores são um cancro difícil de resolver.
jrd disse…
O Ministro dos Santos é homem de muito alimento, mas é mais duro -de cabeça- do que as pedras do Convento.
A suas atitudes (duas)para com José Saramago ilustram bem o perfil da criatura.
Anónimo disse…
segundo juristas meus amigos, o abuso de poder tb é punível, segundo código penal, artigo 432º

Mas, moralmente e éticamente, o desplante que certos índividuos têm em ostentar, é repugnante e ulttrajante...

Quem faz a lei?
Para quem se faz a lei?
Para todos?****
não me parece..
Se querem que haja confiança, então, que sejam honestos, ajam com transparência. Então, meus amigos, serão, aos olhos de todos, pessoas credíveis e modelos a seguir.
Anónimo disse…
Um dos piores males da administração portuguesa é não haver tradição e hábito de controle, de verificação, de responsabilização e de exame.
O poder local é há trinta anos uma coutada em roda livre. Algumas denúncias da imprensa são relativamente recentes e esparsas.
Há sinais de que alguma coisa\ vai mudando. Lentamente, que as cumplicidades instaladas são muitas e antigas.

CE: Eu diria 'conheço gente muito séria em quase todos os partidos. E gente muito desonesta em alguns deles.'
V. já viu o desespero em que anda essa gente que está afastada do poder há algum tempo, e que vai ficar ainda mais?
V. já viu que a 'direita' desapareceu da paisagem política ao nível mais elevado?
V. já viu que essa gente só consegue estar viva com o poder na mão, e os arranjismos que ele possibilita?
V. já viu que é assim há séculos?
Anónimo disse…
Não sei porquê, mas, suspeito que os jornais locais compactuam com a situação.

Não questionam, não investigam, não são rigorosos, etc e tal.

Parecem publicar o que é enviado pelo gabinete de imprensa de alguns.

Parecem estarem controlados, como se, em caso de desempenharem verdadeiramente o seu papel (jornalistas), serão castigados...

Qd de repente, algum jornal diz que vai aparecer e ser diferente.. eis que desaparece, não há sinais dele. Foi abafado, eleiminado à nascença. lembram-se-se do impacto das suas primeiras páginas?? Tinha a sua sede na Av. fernão magalhães.
Era verde e .... Essse mesmo.

Esta seria uma manchete para os jornais locais (empresas municpais de coimbra e os seus gestores.
Mas, quantos se atreverão a questionar o Carlos Encarnação, gestores e director executivo? Quantos?

Quantos são aqueles que colocam qustões pertinentes, objectivas e se coadunam com a realidade do meio?


A comitiva ainda vai no adro...
O rei vai nu, quem se atreve a afirmá-lo? Quem?
Mnauel Norberto Baptista Forte disse…
Uma promiscuidade completa.
Sempre fui da opinião que, NUNCA seja a que autarca ou gestor fosse, lhe fosse dada a "benesse" decartões de crédito ilimitado, pagos telefones, viaturas, e etc. Entendo, que se exercem um cargo público não lhes dá o direito à balda de procedimentos; porquê? Porque serão os Municipes, a pagar a factura desse desmandos todos, além de que essa casta de gestores, muitos vezes impunes a assobiar para o lado.
Uma utopia da minha parte: findas as horas de serviço, carro arrumado no Parque, e apanha a viatura própria até casa; ao fim e ao cabo é o emprego deles, ou estarei errado?.
Anónimo disse…
Por acaso há alguma comissão de acompanhamento, à gestão das empresas municcipais?

Porquê que só são, quando são, auditoradas depois de o mal já estar feito?
Quando há gestão deliberadamente danosa, porquê que o estado não penalisa estes malfeitores, nos seus impostos ou reforma?

Se não há castigo, siginifica que estes, continuarão, noutros cargos públicos, a cavar o fosso para os restantes portugueses.

Se cada vez mais, a política é vista como um meio para atingir um fim (particular e não colectivo - a missão), então, cada vez teremos mais gente a exercer cargos públicos e menos gente a produzir para um país que diz-se em vias de desenvolvimento (????)

Denunciar é um dever participar civicamente.
Mas castigar/ punir os prevaricadores é uma obrigação das entidades. Os contribuintes pagam para isso.

Se as entidades públicas não servem o público, mas servem-se do público. Então, para quê que existem?

Governantes que desgovernam?
Onde há corrupção, há injustiças, há descrença, há desigualdades, há tudo de negativo.

Se cada um mostrar repulsa por tais actos, talvez, estes passem a ser condenados.

Denunciar é não compactuar, é gritar que não aceita e não concorda.
Denunciar é exigir mudanças para melhor.

EU NÃO COMPACTUA COM A CORRUPÇÃO.
E VOCÊ?
´César disse…
Tudo isto se resolveria com um rigoroso enquadramento legal e penal e com um sistema judicial a funcionar. Se houvesse vontade política a situação nunca teria chegado ao ponto a que chegou.
Mas quem aprovou a lei actual? Qual foi o Governo?
Porque não se altera a lei, se ela está mal?
Porque recuou o Governo e o PS nas medidas de combate à corrupção propostas por Cravinho?
Para além das empresas municipais há também o caso escandaloso dos muitos institutos públicos que proliferam por todos os sectores. Quem está a transformar os hospitais em institutos públicos? quem transformou o CHC em instituto público? Quem transformou recentemente a ARS do Centro em instituto público?
Meu amigo Carlos Esperança. Os responsáveis têm um tosto e um nome. Há um poder político democrático hoje em Portugal e um Governo de um partido com maioria absoluta no Parlamento. Porque é que só mostra «coragem» em invocar a sua legitimidade para atacar a classe média? É cada vez mais claro que as medidas tomadas de redução dos ditos «privilégios» servem sobretudo para alimentar o polvo da corrupção que está a minar a democracia, uma situação que só existe porque aproveita a muitos dos detentores do poder político, central e local. Institutos públicos e empresas municipais são boas almofadas para os que cessam a vida política activa, mais agora que perderam as subvenções vitalícias.
Receio bem que tenha que ser, uma vez mais, o Povo a resolver o problema!
Manuel Norberto Baptista Forte disse…
Concordo em absoluto com os dois comentários que sucederam o meu, porque efectivamente tudo acontece porque (permitam-me as citações)não há, que eu saiba até à data:
"...comissão de acompanhamento, à gestão das empresas municcipais?...", e "...rigoroso enquadramento legal e penal e com um sistema judicial a funcionar...". Daí que muitos, não exerçam há muito as suas profissões de origem, e até acumulem, e depois .. "reformam-se", na casa dos cinquenta e poucos.
Que fique bem explicito, eu acredito que haja neste Portugal, pessoas que ainda façam as coisas por convicção, e que alguns deles até saibam que devem sair antes.
Anónimo disse…
O sr dono do blog conhece politicos onestos(s H)em todos os partidos,mas eu,só conheço politicos honestos no PCP e no BE,pq se assim não fosse lá vinham os orgãos de referência a espalhar aos 7 ventos a boa nova.Não é por acaso,que nestas denúncias nunca se falam do partido que está a comandar esta 'comandita' de plutocratase cleptomaníacos.Aliás,acerca do PREC,os comunistas vinham para roubar o povo.Vemos quem é que anda a roubar...!Sr.dono filósofo de xuxialismo de rosto omano,o PS não está de fora deste fartar vilanagem,por isso o sr.vem com frase dos xicos espertos negada(todos os politicos são desonestos).Fala-se,muito de um autarca da cidade dos bispos e,até agotra nada...Percebe?
Anónimo disse…
Em Bila Nuoba de Gaia em que é presidente um daqueles partidos ernestos,também é um ver se te havias...Sabe,é daqueles partidos do arco do governo,responsável,rigoroso.......
Vá lá,uma palavra amiga do doutor ,de compreensão para o coitado autarca também amigo dea democracia
Anónimo disse…
Há muito que esta marmelada deveria ter terminado, ainda bem que foi nomeado para o T.C. uma pessoa que apesar da polémica levantada pela direita em torno da nomeação,,tem feito um mandato transparente,acho por isso que tudo deve ser divulgado pois afinal são pagos pelo Povo, é por causa destes funcionários públicos e não dos outros que este Pais está como está.
Quanto as competencias serem bem remuneradas concordo mas com equidade dentro do aparelho do estado,é que não basta apregoar dificuldades há tambem que dar exemplos de sobriedade, infelizmente Abril trouxe tambem muito oportunista há que derrotá-los seja em que partido for...
Anónimo disse…
Dizem que há excesso de funcionários públicos. Mas que eu saiba é preciso abrir concursos públicos autorizados pelo TC.

É caso para confrontarmos os departamentos dos Recursos Humanos: Quem os recruta? Porquê que os recrutam? Cumprem a lei quando fazem a selesção dos candidatos?

Não me parece, pois os escolhidos são figuras, filhos de gente de bem, filhos do A b C.

Os Recursos Humanos são, na minha opinião, autênticas Agências de Pagamentos de favores políticos. E, esses favores pagam-se caro. Pois apresentam a afctura ao resto do país, que terá de recionalizar onde faz falta.

Tb deveriam haver comissões de acompanhamento durante TODO o processo de recrutamento.

Mas, se há execsso de funcionários públicos, porquê que continuam a abrir concursos externos e naão abrem concursos internos a nivel nacional????

quem são os funcionários que com~^oem as empresas municipais?? Quem???
Anónimo disse…
Neste caso o que mais me interessa é Coimbra. Onde andam o "Diário de Coimbra" "As Beiras" "Campeão"????? cambada de palhaços.
Anónimo disse…
Eu diria que fazem de nós palhaços...

Vendem-nos noticias de palha e escrevem sobre o trivial e o sexo dos anjos.

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido