Penacova - Escola Secundária ou Sacristia?

*
Comentário: Os membros do Conselho Directivo já foram jovens?

Comentários

josé disse…
horror! que gente maluca....
pai de família disse…
Uma Escola digna desse nome.
Se a imagem fôr verdadeira e de origem fidedigna, seria uma Escola onde poria as minhas filhas a estudar sem preocupações.
Carlos Esperança disse…
pai de família:

Também acredita que a masturbação dá cegueira como ensinava o padre de Religião e Moral do meu Liceu?

Ou acredita que os alunos da Escola Secundária de Penacova são tão castos como o Papa?
Anónimo disse…
Na minha optica pode-se estar a deturpar a realidade de uma escola ou de algum responsável dessa escola, opinionado exclusivamente sobre uma fotografia do que parece ser um recorte colado numa folha de cartolina,junto de outros recortes.

É estupidificante comer tudo o que nos dão, sem espirito critico.

Por acaso alguém quer saber porque é que o cabeçalho acaba com um ponto de interrogação?

Por acaso alguém quer saber em que contexto é que este recorte é exposto, o se algum professor tem tinha autoridade para alterar oseu conteúdo?

um pouco de espirito critico e concluíam que aquilo que é suposto a imagem representar é demasiado mau para ser verdade.
RJ disse…
Esta gente nem sabe o que é sexualidade.
Mas coitados, enfiam-lhes aquelas m***** na cabeça desde pequeninos.

Assim que se livram deste tipo de escola e entram na universidade entram logo numa espiral libidinosa.
É este tipo de coisas que cria tarados, pior ainda só nos seminários.

Estou curioso para ler o que vem mais abaixo, onde está "machismo e feminismo".
Anónimo disse…
Oh caríssimo Esperança: e que tal dar algum tempo de antena a Marinho Pinto, distinto Bastonário da Ordem dos Advogados. É que o homem abre a boca e saem verdades em catadupa. Ou não convém que se fale nisso?
Quanto ao facto da masturbação provocar a cegueira essa é óbvia: quando chega a hora H é natural que um tipo feche os olhos!!!
Vítor Ramalho disse…
Provavelmente o recorte é de um jornal de turma.
Provavelmente até foi escrito por um aluno.
Mas o “democrata” Esperança não gostou do texto e como bom censor mandava logo arranca-lo. Depois não perde pitada para descascar na religião.
Por ultimo se foi escrito por um aluno fico feliz pois ainda há esperança, pelo menos neste a televisão e o lobby gay não torraram o cérebro.
RJ disse…
O que lhe torrou o cérebro foi outra coisa...
Mano 69 disse…
«Por acaso alguém quer saber porque é que o cabeçalho acaba com um ponto de interrogação?

Por acaso alguém quer saber em que contexto é que este recorte é exposto, o se algum professor tem tinha autoridade para alterar oseu conteúdo?»

Anónimo - Ter Jan 29, 06:17:00 PM

Nem mais!

O problema aqui é que o Carlos Esperança dispara primeiro e pergunta depois, será forma ou feitio?
CA disse…
A julgar pelo que se vê na base da fotografia, uma pergunta "Concordas com o machismo e com o feminismo?", estamos perante as respostas a um inquérito, provavelmente ordenadas pelas frequência com que apareceram.

Sendo assim quer o posto do CE quer o original ficam com pouco sentido. Que uma escola faça um inquérito e publique os resultados é algo que me parece perfeitamente normal.
josé disse…
mas está tudo parvo?

é uma aberração educativa. ponto final!

aos anónimos,
larguem o Esperança, acaso ele vos pediu opinião? Não gostam? vão ler a Bíblia...
CA disse…
"é uma aberração educativa. ponto final!"

Mas o que é que é uma aberração educativa? Perguntar aos alunos o que é que eles pensam da sexualidade?
Mano 69 disse…
Hummmmmmmmmmmm

Sera o "josé" o alter-ego do "Carlos Esperança"?
pai de família disse…
Sr. Carlos Esperança:

Em resposta às suas perguntas, tenho o seguinte a dizer:

1. Não está provada científicamente a hipótese de a masturbação não causar cegueira. Pelo sim pelo não, uma hipótese é tão válida como a outra.
Sim, claro, a castidade deve ser fortemente incentivada nos jovens e nos não-jovens, desde que solteiros.
No caso dos casados, sabe a minha opinião.
2. A castidade é uma virtude. No caso de adolescentes, ainda mais, pois não casaram ainda, pelo que não se coloca - ainda - a hipótese da procriação.
RJ disse…
A malta jovem não me parece muito ir ao encontro desses comportamentos. A castidade nem para muitos padres serve, quanto mais para jovens com hormonas aos saltos!
Ir virgem para o casamento é um risco, mas quem quiser ir está no seu direito.

Em relação ao tema:
Pode ser um inquérito, mas se esses resultados são reais então essas crianças/adoloscentes já sofreram uma lavagem ao cérebro. Ou então era de escolha múltipla.
Carlos Esperança disse…
pai de família:

O padre de moral do meu liceu afirmou com frequência, numa turma de 40 alunos, que a masturbação conduzia à cegueira.

Posso garantir-lhe que não conduz.

Quanto à castidade foi virtude que abandonei logo que me foi possível.

Acho bem que o senhor tenha os seus valores, por mais anacrónicos que sejam, mas não os queira impor aos outros.
ana disse…
"Não está provada científicamente a hipótese de a masturbação não causar cegueira."

Em que fonte bebeu essa informação? Se a masturbação pudesse causar cegueira, quase toda a população seria cega.Eu por exemplo tenho uma uma cadela que se masturba furiosamente e apesar disso vê bem melhor do que eu.
CA disse…
"Ir virgem para o casamento é um risco, mas quem quiser ir está no seu direito."

Risco? Porquê?

"Pode ser um inquérito, mas se esses resultados são reais então essas crianças/adoloscentes já sofreram uma lavagem ao cérebro."

Toda a educação é uma lavagem ao cérebro. Que valores colocaria em lugar dos que são expressos nas respostas? E porque é que esses valores são melhores do que os das respostas?
ana disse…
"Ir virgem para o casamento é um risco, mas quem quiser ir está no seu direito."

Risco? Porquê?"

Porque o sexo no casamento é importante, ou não será? E deve ser após o casamento que o casal vai descobrir se, no aspecto sexual, é compatível?
Julgo que todos conhecemos casos de enorme frustração que levaram à separação ou ao adultério. Também há muitos casais que, seguindo os ensinamentos da Santa Madre Igreja, não se separam e vivem infelizes toda a vida .
RJ disse…
ca:
Vai-me dizer que a "masturbação", o "amor livre", a "relação sexual como aventura", as "relações pré matrimoniais" ou "para experimentar" destroem a sexualidade?

O facto de não haver amor não quer dizer nada. Pode dar numa "one night stand" ou numa relação mais prolongada.

A homossexualidade/bissexualidade também é sexualidade e deve ser respeitada.
Quanto à prostituição é outro capítulo. Não a recomendo, mas acho que devia ser legalizada.
A obsessão sexual pode dar problemas. Tarados é o que não falta por aí, alguns são inofensivos e discretos mas outros nem por isso.

As pessoas têm o direito a ter a vida sexual que quiserem. Com ou sem amor, monogâmica ou com vários parceiros, uma por ano ou uma cada 15 anos, armadas em santas ou em p****.

A virgindade perde-se entre os 10 e os 20 num intervalo da escola, nas férias, numa escapadinha. Não na noite de núpcias.

Valores a incluir: Informar todos os jovens dos riscos que uma relação sexual tem, desde as DST à gravidez. Muni-los com informação para que não lhes aconteça nada de mal.

Atitudes que destroem a sexualidade? Penso que a falta de atracção pelo parceiro e/ou a ausência de prazer no acto é a primeira (frustração, infelicidade).

A negação de desejos naturais(onde se insere a castidade) por vezes é problemática. Aquilo que está na fotografia é lavagem ao cérebro, pois não corresponde ao mundo real, sendo que muito do que é apresentado é inofensivo. Goste-se ou não, representa o mundo de hoje.
Mano 69 disse…
Tratando-se da masturbação, tivemos, principalmente por objecto, considerar este hábito na infância e no vigor da mocidade, porque é então que produz as mais terríveis ruínas no organismo.
Poderíamos, todavia, falar do onanismo nas diferentes idades da vida; porque, ainda que nos adultos os seus efeitos sejam menos terríveis do que nos jovens, contudo, produz naqueles consequências mais graves.
Não é raro ver homens, que perderam a memória, serem atormentados por dores contínuas, e caírem enfim no mais completo marasmo, em consequência destes vergonhosos excessos.
As pessoas de um e outro sexo que se entregam a esta pratica, fazem-na com tal paixão, que as praticas normais do amor já não tem atracção para elas: há algumas até, que renunciaram absolutamente a este acto natural.
Nos adultos, esta paixão observa-se principalmente entre os afeminados, os imbecis, e principalmente os idiotas.
Muitas vezes, também, se assenhoreia dos adultos de um ou outro sexo, que, por necessidades de diversas ordens, são obrigados a viverem celibatários.
Algumas vezes, enfim, domina indivíduos que, por sua instrução ou posição social, parecem dever estar em guarda contra semelhantes excessos.



FOURNIER, H.
O onanismo: suas causas, perigos e inconvenientes para o indivíduo, família e sociedade: remédios / H. Fournier, trad. Narciso Alberto de Sousa. - Lisboa: Guimarães & C.ª Editores, (19??). Pág. 14-15.
CA disse…
"Porque o sexo no casamento é importante, ou não será?"

É, sem dúvida.

"Julgo que todos conhecemos casos de enorme frustração que levaram à separação ou ao adultério."

A sexualidade do homem e da mulher estão sempre a mudar ao longo da vida. Um bom ou mau começo significam apenas isso e não são garantia de nada (bom ou mau) para o futuro.

"E deve ser após o casamento que o casal vai descobrir se, no aspecto sexual, é compatível?"

Conhece algum livro de sexologia que defina a noção de "incompatibilidade sexual"?

Já agora duas citações:

"Uma característica principal dos casais com uma vida sexual realizada é o facto de encararem o acto sexual como uma expressão da sua intimidade, não se ofendendo com quaisquer diferenças nas suas necessidades ou desejos."

"A sexualidade é incrivelmente maleável e, como tal, é realmente possível adaptarem-na aos desejos um do outro de um modo que dê prazer aos dois."

Págs. 210 e 209, respectivamente, do livro "Os 7 princípios do casamento", de J.M. Gottman e N. Silver, Ed. Pergaminho, que recomendo vivamente.
CA disse…
"Vai-me dizer que a "masturbação", o "amor livre", a "relação sexual como aventura", as "relações pré matrimoniais" ou "para experimentar" destroem a sexualidade?"

Se entender a sexualidade apenas como algo estritamente ligado à parte física, dir-lhe-ia que alguns desses comportamentos envolvem mais riscos do que aqueles com os adolescentes são em geral capazes de lidar. Se entender que a sexualidade está ligada a tudo o que a pessoa é, dir-lhe-ia que faz pouco sentido brincar com uma parte sem ver que tudo o resto vai atrás.

"O facto de não haver amor não quer dizer nada. Pode dar numa "one night stand" ou numa relação mais prolongada."

Júlio Machado Vaz dizia uma vez na TV que já tinha visto muitas "one night stand" que não deveria passar disso acabarem com garrafas de champanhe e outras com nódoas negras (em sentido figurado). O envolvimento que supostamente era só físico pode envolver e muitas vezes envolve muito mais da pessoa e a pessoa acaba muito mais comprometida do que poderia imaginar ao ouvir os defensores do tal "amor livre", que afinal podia trazer atrás muito mais impacto na vida.

"A homossexualidade/bissexualidade também é sexualidade e deve ser respeitada."

Sem dúvida.

"As pessoas têm o direito a ter a vida sexual que quiserem. Com ou sem amor, monogâmica ou com vários parceiros, uma por ano ou uma cada 15 anos, armadas em santas ou em p****."

Acho é que as pessoas devem estar conscientes das implicações dos seus actos. A vivência física da sexualidade envolve muitas vezes mais domínio de si próprio (emoções, impulsos, projecto de vida) do que os adolescentes são capazes.

Pretender que basta a puberdade física para que os adolescentes estejam prontos para qualquer experiência sexual parece-me irresponsável.

"A virgindade perde-se entre os 10 e os 20 num intervalo da escola, nas férias, numa escapadinha. Não na noite de núpcias."

A virgindade perde-se quando a pessoa quiser. De preferência estando a pessoa consciente de tudo o que está ou pode estar envolvido nessa relação.

"Valores a incluir: Informar todos os jovens dos riscos que uma relação sexual tem, desde as DST à gravidez. Muni-los com informação para que não lhes aconteça nada de mal."

Só fala da informação estritamente física. Quanto às emoções, à capacidade de lidar com o que vem depois, a capacidade de lidar com as relações sociais, quanto a ver como se encaixa isso no projecto de vida, etc., não diz. Ora uma pessoa é muito mais do que o corpo e o mal e o bem que podem acontecer vão muito além de meia dúzia de doenças.

"Atitudes que destroem a sexualidade? Penso que a falta de atracção pelo parceiro e/ou a ausência de prazer no acto é a primeira (frustração, infelicidade)."

Se a vida fosse assim tão simples.

"A negação de desejos naturais(onde se insere a castidade) por vezes é problemática. Aquilo que está na fotografia é lavagem ao cérebro, pois não corresponde ao mundo real, sendo que muito do que é apresentado é inofensivo. Goste-se ou não, representa o mundo de hoje."

Se o mundo de hoje estivesse cheio de pessoas felizes a viverem relações felizes, não haveria grande problema. Mas já reparou como andam as pessoas e as relações por aí?
RJ disse…
A nível da consciência do acto, estamos mais em sintonia, embora me estivesse mais a referir à parte física, em particular às práticas citadas na foto.

Mas muito disto tudo (da simples atracção física ao acto em si) tem coisas inconscientes, ligadas ao factor emocional. Daí a necessidade da prevenção.

"Se o mundo de hoje estivesse cheio de pessoas felizes a viverem relações felizes, não haveria grande problema. Mas já reparou como andam as pessoas e as relações por aí?"

Acima de tudo hoje há mais liberdade.
Dramas há muitos, mas felizmente há mais soluções do que antigamente.
Anónimo disse…
Ficámos a saber que o esperança não é cego, como tal, "toca ao bicho!"

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita