Momento Zen de segunda


João César das Neves (JCN) na sua homilia de hoje – como a Igreja criou a Europa – perdeu a cabeça. Não podendo apoiar-se na História, tanto pior para a História. Não podendo contar com os factos, tanto pior para os factos. Primeiro está a salvação da alma, a verdade vem depois.

Eis afirmações que os historiadores negam mas que JCN subscreve: «A Igreja Católica, vencendo o paganismo obscurantista e civilizando os bárbaros, foi uma poderosa força dinâmica, estabelecendo os valores de tolerância, caridade e progresso que criaram a sociedade contemporânea. A Idade Média, conhecida como "Idade das Trevas", foi uma das épocas de maior desenvolvimento e criatividade técnica, artística e institucional da História».

Para JCN «segundo a tese comum, a Igreja manteve o continente na obscuridade e miséria durante séculos até que a emancipação, com o Humanismo e Iluminismo, permitiu a ciência, liberdade e prosperidade actuais. Esta visão, divulgada por discursos, livros de escola e tratados de História, é simplesmente falsa».

JCN julgará que foi o Iluminismo que organizou as Cruzadas, criou a Inquisição, fez conversões forçados, defendeu o esclavagismo, expulsou os judeus e os muçulmanos, apoiou as monarquias absolutas, criou o direito divino e cometeu numerosos crimes.

JCN, citando um autor desconhecido, certamente avençado pelo Vaticano, explica como o Cristianismo gerou a liberdade, os direitos do homem, o capitalismo e o milagre económico no Ocidente.

Só não explica a razão pela qual o Vaticano não subscreve a «Declaração Universal dos Direitos do Homem» que considera de inspiração ateia.

Comentários

Anónimo disse…
JCN ludribiou a História, mas subiu mais um degrau para conquistar um lugar no céu. Amen
Anónimo disse…
JCN vai contribuir para a salvação de muitos portugueses. De tanto lerem estes dislates, vão-se afastando de todo da velha e cansada ICAR
Anónimo disse…
OK... Deixemo-nos de sarcamos e sejamos bem directos. Só quem é ignorante em matéria de Filosofia, quem tem uma visão facciosa e parcial da História, e sofre de um ateísmo primário e de um anti-clericalismo fanático é que não consegue reconhecer neste artigo do JCN alguns factos como verdadeiros. Exageradamente sobrevalorizados como seria de esperar nele, mas em compensação os mesmos factos são negados ou subvalorizados por quem pensa que sabe o que dizem os historiadores, mas que afinal tem uma visão de pacotilha da História. É por isso que a fotografia do JCN virada para baixo só pode ser idêntica à fotografia virada para cima do Esperança (ou dos seus amigos). Um é a imagem do outro ao contrário.
Assim, ao Esperança (e amigos) aconselho a leitura do livro «O Principio Esperança» do ateu marxista Ernst Bloch (e já agora uma leitura mais atenta do livro «Assim falou Zaratustra»). Só para perceberem melhor a influência do cristianismo na cultura ocidental. Se for demasiada areia para a vossa camioneta, leiam as crónicas do padre Anselmo Borges no DN de sábado. Pode ser que assim se libertem de determinadas obsessões com a religião e de determinados inimigos de estimação (ou adversários, como «alguns» eufemisticamente dizem). Estimo as melhoras...
Xiquinho disse…
Porquê que não posso ter um Espanhol?

O Dr. J. Sábio das Neves é um cromo que dispensa apresentação para quem lê a sua coluna na qual já comparou a homossexualidade com a pedofilia, considerando a primeira uma abominação que de acordo com Leviticus 18:22 não pode ser perdoada em qualquer circunstância. Eis aqui uma carta aberta, aparentada de um primo nosso conhecido, apanhada a circular na Internet que não resisto partilhar com os leitores do PE:

Caro Dr. J. Sábio da Neves,

Muito obrigado por todos os seus esforços para nos educar de acordo com a Palavra de Deus. Tenho aprendido imenso com a sua coluna, e tento partilhar essa sabedoria com o máximo de pessoas possíveis.

Quando alguém tenta defender a homossexualidade, simplesmente recordo-lhes que, de acordo com o Lev. 18:22, se trata de uma abominação. Fim de discussão. Contudo, como gosto de ter sempre resposta para tudo, gostaria de saber a sua opinião acerca de outras matérias:

Quando queimo um boi em sacrifício a Deus, sei que tal produz um aroma que Lhe é agradável – Lev. 1:9. O problema são os meus vizinhos. Reclamam que o cheiro os incomoda. Posso exterminá-los?

Tenho andado a pensar em vender a minha filha como escrava, tal como descrito em Êxodo 21:7. Hoje em dia, quanto acha que seja um preço justo para pedir por ela?

Bem sei que não é permitido o contacto com mulheres durante o período das impurezas menstruais. Lev. 15:19-24. A questão é, como distingui-las? Tenho perguntado, mas a maioria delas fica ofendida.

Lev. 25-44 declara que posso ser proprietário de escravos desde que sejam adquiridos em nações vizinhas. Um amigo meu diz que isto se aplica a Marroquinos, mas não a Espanhóis. Pode clarificar? Porquê que não posso ter um Espanhol?

Tenho um vizinho que insiste em trabalhar no Dia do Senhor. Êxodo 35:2 considera claramente que deve ser condenado à morte. Estou moralmente obrigado a matá-lo eu mesmo?

Um amigo meu acha que comer amêijoas é uma abominação – Lev. 11:10, é uma abominação menor que a homossexualidade. Eu não concordo. Qual a sua opinião?

De acordo com Lev. 11:6-8, tocar na pele de um porco morto torna-nos impuros, mas se usar luvas posso jogar futebol?

O meu tio tem uma quinta. Ele viola Lev. 19:19 plantando duas colheitas diferentes no mesmo terreno, assim como a minha tia que usa roupas feitas de dois tecidos diferentes (algodão/mistura de polyester). Além disso, pragueja e blasfema imenso. Acha que é mesmo necessário reunir toda a vila para apedrejá-los? (Lev. 24:10-16). Não poderíamos resolver isto entre família fazendo uma fogueira para os queimar vivos, tal como resolvemos com os problemas de incesto? (Lev. 20:14)

Sei que tem estudado estas matérias extensamente e estou confiante que pode ajudar.
Mais uma vez obrigado por nos recordar que a Palavra de Deus é eterna e imutável.

Seu devoto fã,
A.P.
ana disse…
Xiquinho, há quantos anos eu penso nisso sem encontrar resposta...Tenho fé na sabedoria de JCN para responder a estas dúvidas. Caso ele não possa, talvez delegue no seu apaniguado e sempre fiel "pai de família".

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime