A trabalhar de baixa médica

O Papa Bento XVI voltou ontem a celebrar missa, apesar de ter o pulso direito imobilizado na sequência da operação a que foi submetido após ter escorregado e caído durante o banho num chalé de montanha em Les Combes (Vale de Aosta), na região alpina italiana, onde passa férias.

E A enganar os crentes: «O Papa Bento XVI exortou neste domingo (19) os fiéis a confiarem na Providência Divina se estiverem passando por dificuldades económicas decorrentes da crise».

Comentários

e-pá! disse…
A RECLAMAÇÃO IMPROCEDENTE...

Queixa-se de não poder escrever...

Julgo que os gravadores (antes chamavam-se dictafones...) existem há largos anos em Itália.
Julgo que tem direito a um (ou mais) secretário(s).
Pelo que não se percebe o problema.

O que o deve incomodar deverá ser - uma vez obrigado a uma necessária imobilidade da mão, punho e antebraço - as dificuldades em distribuir urbi et orbi (está de férias na orbi, não é?) bençãos.
Nestes tempos de crise sempre podia vender algumas indulgências...

Paciência...
Julio disse…
Good point, Jon! If the pope had a finger shopped off in a shutting door, what chance would he have to have the finger returned even with ONE BILLION Catholics praying ten Rosaries every hour?… See, that is the empirical proof for prayer that will not be weighed in the prescription. Ah! [From my Facebook page]http://www.facebook.com/djewlew]

Mensagens populares deste blogue

António Costa e a popularidade

Vasco Graça Moura