Um homem de excepção

JOANESBURGO - Boas acções marcaram hoje as comemorações dos 91 anos de Nelson Mandela na África do Sul. Os seus fãs realizaram acções como ler para cegos, distribuir cobertores para sem-tecto ou reformar abrigos para crianças portadoras do vírus da SIDA.

Comentários

e-pá! disse…
Para alguns mais rígidos nas concepções e adeptos da rotulagem dos homens, é bom recordar Nelson Mandela e citá-lo como um excepcional exemplo de mutação humana.

Foi, tido como:

rebelde,terrorista, revolucionário, guerrilheiro, criminoso, sabotador ...

mas, também, como:

Activista contra o racismo, herói, prémio Nobel, referência ética, lider político, pacifista...

Estas amplas variações de comportamentos, posturas, atitudes, etc., faz-me lembrar o inesquecível Charlot que, sobre isto, dizia:
"A humanidade não se divide em heróis e tiranos. As suas paixões, boas e más, foram-lhe dadas pela sociedade, não pela natureza."

Claro que nos devemos preocupar com a imagem que os outros têm de nós. Quando a desprezamos é porque perdemos a capacidade viver com "outros". Tornamo-nos, simplesmente, egoístas. Foi isso que guiou Mandela na vida, na luta, no dia a dia.
A capacidade de conviver e lutar pelos "seus" e pelos "outros". Isto é, a imagem de universalidade dos grandes homens.

Todas as Nações necessitam de grandes homens.
Mas, um grande homem, como Mandela, para resistir a inúmeras dificuldades e terríveis adversidades e, finalmente, acabar por se impor a um povo, diria, ao Mundo, necessita de possuir convicções sólidas e profundas e, ainda, uma determinação incomensurável...
Parabéns, Madiba!

Mensagens populares deste blogue

Vasco Graça Moura

Notas sobre a crise venezuelana…