Coimbra e a co-incineração

Não é uma discussão que se repete. Trata-se de uma decisão. Perderam-se quatro anos.

Comentários

Anónimo disse…
Talvez agora se venha a saber, a verdadeira razão porque o Fausto não esteve disponível para Coimbra. Ainda há Homens de palavra.
Anónimo disse…
Continua a brincadeira entre o rato e o gato, com o rabo de fora.
A população foi informada, manifestou o seu parecer, protestou ...este caso não tem mais conversa.
Os governantes realizam as acções de acordo com as necessidades populacionais.
Reacender um processo destes é simplesmente ridículo.
Anónimo disse…
O que quer fazer aos lixos?

O que fez o PSD/CDS nos 3 anos em que os resíduos tóxicos continuaram a acumular-se?
Anónimo disse…
Dois pontos :

- Fausto não esteve disponível para Coimbra porque a Europa dá menos chatices e mais dinheiro;

- claro que aos lixos se tem que fazer alguma coisa. Mas pergunto : estão contentes por Coimbra ser o caixote do lixo ? Ao que chegámos !!! A tal cidade ... a fascinante cidade ... da cultura (agora do conhecimento) ... dos doutores ... do amor em Portugal ... já foi ! Agora, menosprezada, frequentemente humilhada, ultrapassada. Que forma estranha de tanta gente te amar. Servem-se de ti, apenas. Que pena os teus "amantes" serem emergentes beirões que te utilizam como alavanca. Adeus, Coimbra. Verdadeiramente, tu quase já cá não estás. Como te escravizaram, minha jovem e bela Coimbra !
Anónimo disse…
Marchar, marchar!
Vem aí novamente o fantasma da co-incineração.
Sócrates atira-a para longe de casa e coloca-a à nossa porta.
É chegado o momento de, mais uma vez, mostrarmos a Sócrates que Coimbra não é uma terra de cobardes.
Contra a co-incineração, marchar, marchar!
COMUNICAÇÃO INTERNA DO Contramestre ÀS 4:48 PM
Anónimo disse…
O Fausto é um cobarde isso sim, qual homem de palavra??Precisamente por isso é que Fausto deveria ter sido candidato para assumir com frontalidade e usando o seu suposto "peso político" ( que cada vez é menor) a defesa de Coimbra
Anónimo disse…
O problema é que Fausto Correia não sabe entrar em combates duros. Gosta mais das vitórias anunciadas. E em Miranda decidiu ir lá pois estava convencido de um peso e de uma importância que manifestamente NÃO TEM.
Anónimo disse…
fausto coreeia demorou tempo demais a dizer naõ. se este foi o problema principal ( co-incineração) então fausto sabia -o desde Fevereiro, data em que Sócrates ganhou as legislçaticvas com a afirmação da co-incineração. não enganou ninguém. e fausto recusou a candidatura em Junho. Para quê esperar de fevereiro a junho senão impedir que outros melhor colocados que Baptista pudessem lá ir?
Ó FAUSTO...JÁ NÃO ENGANAS NINGUÉM COM CABEÇA. SÓ OS TOINOS É QUE LEVAS!
Anónimo disse…
FAUSTO terá a sua GRANDE ELEIÇÃO daqui a 4 anos!
Homens socialistas que frontalmente se bateram contra socrates e contra a co-inceneração.Entre outros se destingue:
FAUSTO CORREIA
MANUEL ALEGRE
Anónimo disse…
Os que apoiaram socrates(e ainda apoiam) e não protegem Coimbra.....todos sabemos os nomes!
Anónimo disse…
Para quê tantas críticas a Fausto Correia? Ele só irá ser Presidente da Câmara de Coimbra daqui a 4 anos. Escrevam!
Anónimo disse…
O problema dos residuos industriais perigosos exige uma solução. A proposta do PS tem um problema grave se for feita nos mesmos moldes do q há quatro anos atrás.
O facto é q a produção de poluição é uma falha de mercado que o estado pode e deve corrigir. Para corrigir essa falha deve cobrar a quem a produz os custos da sua eliminação e redistiribuir o rendimento por todos os que foram afectados pelo existència destes resíduos.
A proposta do PS apenas trata da eliminação dos resíduos não corrigindo a falha de mercado, uma vez que dá às cimenteiras não o ónus da queima mas o proveito (uma vez que são elas que vão gerir todo o processo ...) assim sendo quanto mais lixo se produzir mais as cimenteiras ganham.
A forma inteligente de organizar o processo era o estado criar uma empresa pública (ou instituto) que gerisse todo o processo. Os poluidores entregavam a essa empresa os resíduos e pagavam o preço da sua eliminação com uma majoração de x%. Esse instituto público estaria encarregue de eliminar os resíduos (ele próprio ou pagando a terceiros, com ou s/ co-incineração) e os lucros obtidos poderiam ser utilizados para requalificação ambiental.

Um mecanismo destes é o que um estado social faz.
Já agora o que faz um neoliberal: Cria um mercado onde a poluição é transaccionada e aqueles que queimam os resíduos obtêm todos os lucros. Ou seja «the USA way». Assim sendo, só quem acredita cegamente no mercado pode concordar com o mecanismo proposto pelo PS.

ass.
pc

PS: Mas não se esqueçam, segundo C. E. eu é que sou o neoliberal.
Anónimo disse…
Mais uma derrota par o PS, vou pensar mudar de partido.
Nuno Moita disse…
É COMPLETAMENTE ABSURDO QUE ALGUEM SOB O MANTO DO ANONIMATO TENHA A CORAGEM DE CHAMAR COBARDE AO FAUSTO CORREIA HOMEM DE PRINCIPIOS E VALORES, QUE MUITO FEZ POR COIMBRA, POR PORTUGAL E PELO PS.

Quero deixar aqui registado que apesar de ser contra qualquer forma de censura, tenho que admitir que a falta de senso, de coragem e a estupidez de algumas pessoas leva-me a pensar que talvez fosse melhor apagar alguns destes “posts”.
Anónimo disse…
Ao anónimo das 3:11 PM: Até que enfim que se vê uma argumentação decente contra a processo de co-incineração!!! É que a velha história "eu não quero saber nada disso, só sei que não quero o lixo à minha porta" já cheira mal!!!
A propósito, diz-se por aí que os fumos da chaminé do hospital são muito mais perigosos que os da co-incineração. Porque é que ninguém se incomoda com isso?
pc disse…
Como nao sou especialista em co-incineracao e nao me posso debrucar sobre as questoes técnicas do relatorio independente encomendado pelo anterior governo PS aqui fica uma sugestao de leitura:
http://www.co-incineracao.online.pt/CRUP-DelgadoDomingos.pdf

mais factos podem ser vistos em http://mega.ist.utl.pt/~aecoist/mostra_pagina.php?url=conteudos/infor/c_in_coincin.ihtm

o relat]orio original esta em:
http://www.coincineracao.online.pt/Rcom_original.pdf

e como o fim de semana esta a chegar proponho algo que nao li nem vou ler mas pode ser interessante:
http://www.uc.pt/mhidro/Tratamentos_Residuos_Solidos.pdf

Quanto aos residuos hospitalares o Eng. Socrates comecou um processo de rqualificacao e centralizacao no Porto e em Lisboa do tratamento dos residuos hospitalres, conclusao a co-incenaradora hospitalr de coimbra penso que est]a inactiva, mas posso estar errado.
Anónimo disse…
Obrigado pelo esclarecimento.
Geosapiens disse…
...eu defendo a opinião da Greenpeace Internacional...de que fui aliás um dos relatores...é melhor esta solução que nenhuma...um abraço...
Anónimo disse…
É triste ver tanta gente de cócoras...
Eu fui um dos 65.000 que assinou contra a co-incineração!
Anónimo disse…
Lembro-me de à data de toda esta polémica, ter-se chegado á conclusão lógica que só haveria 4 soluções em termos cientificos e pragmáticos.

1ª Aterro Sanitário

hipótese meramente transitória, risco de contaminação de lençois freáticos, terrenos adjacentes etc.
serviria no entanto para não ter esse lixo a céu aberto até se saber o que se lhe fazer.

2ª Co-incineração, as cimenteiras meterem os filtros nas suas chaminés, pois as altas temperaturas destruiriam parte desse lixo, enquanto algum dele ficaria e enriqueceria o cimento produzido, poderia algum ainda servir de combustivel para os fornos. ( dúvidas quanto à eliminação de alguns metais pesados, nomeadamente mercúrio).

3ª Incineração dedicada, criar uma estrutura de raíz, num sitio ermo ( preferencialmente) para eliminar esses residuos ( nos mesmos termos que as cimenteiras já implantadas em sitios urbanos).

4ª mandar esse Lixo para a Alemanha e França para retribuir a gentileza que eles nos fizeram no tempo do Dr.Cavaco Silva ( lembram-se do escandâlo dos bidões radioactivos perto de Lx?) ou então perguntar-lhes para onde o exportam agora e mandar o esterco para outro País de 3ºmundo ( mas que não Portugal). Hipótese meramente posta na reinação!!

Se efectivamente não há problema nenhum, nem efeitos nocivos pela co-incineração, o Sr. Eng. técnico Sócrates que a faça em Castelo Branco perto de sua casa ou em S.Bento, aproveite e incinere algum do lixo que por lá se passeia habitualmente.

Ficará por contar a história dos traidores de Coimbra, que ajudaram Sócrates a co-incinerar os deputados do PS Coimbra que estavam contra esta solução da co-incineração.

abreijos aeminienses.
Anónimo disse…
Informação:

A incineradora do H.U.C. foi desactivada por Sócrates, essa sim muito perigosa e que em Coimbra não levantou queixas.

Os lixos do H.U.C. vão para o Júlio de Matos em Lisboa.

Ninguém de preocupa com os raios X de vários consultórios que não têm isolamento. E os radio-isótopos? E os incêndios?

Enfim, por ora, de acordo como estado da arte, o melhor meio de eliminar os RIP é a co-incineração.
Anónimo disse…
Se sabe de laboratórios de RX sem isolamento deve denunciá-los a quem de lei e não mandar 'bocas'....
Anónimo disse…
A única coisa que ainda não entendi no meio desta discussão de lixo é esta:
Andamos com tantos problemas para queimar e destruir os nossos lixos que para contentar todos andamos a passear lixo pelo pais.
Os residuos industriais iriam numa primeira fase ser concentrados no Barreiro e depois enviados para as cimenteiras.
O lixo hospitalar de coimbra anda a passear para Lisboa.
etc. etc.
Isto deve dar uns cobres às transportadoras envolvidas.

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime