Ribeiro e Castro veio a Portugal


O líder do CDS apelou ao veto do Presidente da República à nova Lei da Nacionalidade – lei aprovada pelo PS, PSD e PCP –, sem votos contra, nem do CDS.

Faltando ao líder quem o apoie no seu próprio partido, e sobrando quem o critique, vira-se para Belém à espera de um milagre.

Quis alinhar a posição por Paulo Portas ou pretendeu, simplesmente, mostrar que veio a Portugal?

É desolador presidir à comissão liquidatária de um partido que se dissolve.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita