“Souselas tem a pior saúde de toda a Região Centro” Terá ?

Transcrevo do «Alcatruz», um post cujo autor é uma referência ética e científica e uma personalidade a quem Coimbra e o País muito devem no campo da saúde e da intervenção cívica:

SaúdeCentro 2005.

Se Souselas tivesse a pior saúde de toda a Região Centro como se compreende que, ali, a prevalência de algumas doenças seja muito inferior à da região Centro -- doenças dos ouvidos, nariz e garganta e genito-urinárias (metade dos valores); depressão, doenças digestivas ou renais (2/3 dos valores) ?

Se a prevalência de bronquite crónica, de doenças tumorais e endócrinas e também de doenças cardíacas fosse realmente superior a da região Centro como se compreende que a prevalência de doenças crónicas em Souselas (60%) seja semelhante à da região Centro (62%) ?

Se Souselas tivesse a pior saúde de toda a Região Centro, como se compreende que os utentes de Souselas se considerem tão ou mais saudáveis que os da zona Centro ?

Como explicar esta discrepância ? Os fumos serão perigosos para uns órgãos e benéficos para outros com soma algébrica nula ? Ou haverá outra razão ?

posted by HCM # 16:13

Comentários

Anónimo disse…
CE
ESTÁ NA ALTURA DE VOCÊ METER FÉRIAS.
Anónimo disse…
Os valores citados acerca das:
doenças dos ouvidos, nariz e garganta e genito-urinárias (metade dos valores); depressão, doenças digestivas ou renais (2/3 dos valores), estão em algum estudo recente?
Era importante saber...

Será que estamos a comparar dados diferentes?
Vamos por partes:

Quanto mais doenças agudas houver menos doenças crónicas - verdade ?

Por determinado medicamento ou tratamento supletivo ou elemento tóxico, que os há, aumentar o cancro da mama mas proteger contra o do ovário e do útero, fica legitimado ?

Pode ser mesmo tratamento para doentes de outros locais virem " a termas " para Souselas.

É preciso cuidado quando a ciência é utilizada para fins menos científicos.

Meu Caro Esperança - que encontra muitas semelhanças em nossas naturezas - não há ciência independente. Com os mesmos resultados eu posso relevar os que me interessam em detrimento dos que não me dão tanto geito.

Problemas da ciência com dono e paga (bem).
Eminência:

Neste caso permita-me que lhe aconselhe um lausperene.

O autor é um cientista de renome mas é, sobretudo, um cidadão cuja ética está blindada por uma carreira notável na medicina e na docência.

Mas é na honradez e na inteireza de carácter que nunca, mas nunca, sofreu qualquer beliscadura.

Talvez ninguém, isoladamente, tenha feito mais pela redução da mortalidade infantil que está hoje, em Portugal, ao nível dos países mais avançados do mundo.
E portanto:

Sendo assim tão honesto intelectualmente quem é cá a pessoa para questionar o seu veredicto.

Estava só a pensar e a escrever.

Mas os pais da pátria e da ciência também já não existem.

A minha humildade impede-me de compararmos curricula.
Eminência:

Neste caso prefiro conversar em particular.

Se quiser pode mandar-me um e-mail para: aesperanca@mail.telepac.pt
Por mim confio na ciência e cada macaco no seu galho.

O meu curriculum não é dessa área.

E de outro númus, como gosta de dizer o Esperança - mas também é bom !!??
Che disse…
Não há dúvida nenhuma que em Souselas a qualidade de vida é inferior e é devido à cimenteira. Basta visitar a zona. Por isso e por causa disso A CO-ICINERAÇÂO NÃO PASSARÀ! Contra factos não há argumentos. Podem maniular todas as estatísticas mas a realidade é tão objectiva e insofismável que salta á vista de qualquer mente minimamente honesta.
CHE:

Se os problemas são devidos à cimenteira, mude-se a cimenteira.

O que tem a ver com isso a co-incineração que ainda não começou?
Anónimo disse…
Mudar a cimenteira - boa!

Mas antes, conviria apurar responsabilidades pelo mal já feito.

Como entender (explicar) que as mangas e outros acessórios de filtragem, não tenham sido - a devido tempo - instalados?

A população residente à volta não conta?

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975