Um exemplo bizarro


Ricardo Almeida pode ser um obscuro deputado. Não é conhecido pelo fulgor do verbo, pela profundidade do pensamento ou pelo brilho da actividade política.

Ricardo Almeida celebrizou-se pela reincidência nas transgressões ao Código da Estrada, pela inobservância da compostura cívica a que está obrigado e pela forma como consegue o arquivamento de 17 multas, 7 das quais por excesso de velocidade e, num caso, acima dos 200 km/h.

A transgressão da lei e os expedientes que usa para se furtar à sanção devida tornam-no indigno das funções que ocupa. O exercício de funções legislativas por quem manifesta tal desprezo pelas leis é, no mínimo, bizarro.

Comentários

Anónimo disse…
Até tem graça termos um "deputado fitipaldi"...

Parece que a última transgressão (divulgada pele Imprensa)aconteceu no distrito de Coimbra. Sabe-se que o Sr. deputado já fez uma petição ao governador do distrito (PS)no sentido de "amenizar" a infracção.

Estamos aqui para ver o desfecho...
Anónimo disse…
ai Esperança, esperança... há para aí tantos telhados de vidro..
ai se eu falasse...
Pois fale, homem.
Nem o anonimato lhe dá coragem!!
Anónimo disse…
CE:

Há pudor laico ?

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975