Chernobyl - 20 anos depois

(Sarcófago nuclear)
Uma explosão com a força de 200 bombas como a de Hiroxima é uma tragédia que a humanidade ainda sofre, uma dolorosa recordação cujas feridas permanecem.

Chernobyl é uma catástrofe em aberto, um laboratório de horrores por encerrar e uma memória que é preciso manter viva.

Comentários

Anónimo disse…
Chernobyl é um fantasma e um pesadelo para a discussão que começa a fazer-se, em Portugal, sobre a energia nuclear.
Todos sabemos que, durante estes 20 anos, as questões de segurança relativas à energia nuclear, evoluíram.
Mas o problema não reside aí.
A tragédia de Chernobyl deve-se, essencialmente, a uma "cascata" de erros humanos. Que, dada a condição humana, poderão sempre existir.
Só que, ao contrário das outras fontes energéticas, os acidentes têm efeitos devastadores, direi mesmo, incontroláveis.
Portanto, vamos continuar a discutir com calma, civilizadamente. Há muito caminho a desbravar!
cãorafeiro disse…
obrigado carlos, é preciso lembrar.

é-pá, concordo a 100%
Chernobyl não é a implosão do nuclear é o início da implosão do Império Soviético.

O nuclear, para produzir hidrogénio, não já para produzir energia electrica vai estar na ordem do dia.

Por estes dias !
Anónimo disse…
Eminência:
Não por estes dias...
O projecto ITER, de cooperação internacional, sob o patrocínio Agência Internacional de Energia Atômica, da Euratom, com a utilização do plasma de hidrogénio sobreaquecido por fusão nuclear, vai demorar.
O projeto já está em execução, sendo construido em Cadarache (França) e deverá ter sua primeira operação no ano de 2016.
Faltam 10 anos para os primeiros resultados.
A pergunta é: vale a pena construir novas centrais nucleares "classicas", com o problema de reciclagem dos resíduos, ou esperamos para depois de 2016?
Bem sei que para a Igreja 10 anos é uma migalha de tempo!
Anónimo disse…
Para o Patrick é que não!

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime