Luta de gerações

Sente-se que uma época chega ao fim, que os combustíveis fósseis se esgotam, que o ar se torna irrespirável e a água é um bem escasso para as necessidades humanas.

Não acredito, como os cínicos, na incapacidade dos actuais políticos mundiais e na inconsciência dos líderes dos países mais ricos e poderosos.

Acontece que o radicalismo de pendor religioso e o regresso ao fundamentalismo estão a fazer o seu percurso perante a cumplicidade de sectores sociais mais interessados na salvação da alma do que no futuro colectivo da humanidade.

Há muito que a bomba demográfica deveria ter sido desactivada, que a economia baseada em combustíveis fósseis, como se fossem eternos, poderia ter arrepiado caminho e procurado novos rumos, que a geração que confiscou os recursos globais – a minha – devia ter sentido vergonha de se apropriar do que as gerações passadas deixaram e do que as vindouras necessitam.

O consumo actual é insustentável, os horizontes dos jovens tornam-se sombrios e a luta de classes, que alimentou o pânico da burguesia, pode dar lugar à luta de gerações.

Comentários

Anónimo disse…
Carlos Esperança, o futuro é um amor e uma cabana! Vistamos os calções, calcemos os chinelos, deixemos crescer a barba, alimentemo-nos de frutas e caça. Acabemos com os fatos, sapatos e laminas de barbear, com as batatas fritas em oleo retardado, com os automóeveis e o stress diário. Foquemos a nossa vida no que realmente interessa, olhemos para a piramide das necessidades de Maslow sem nos atrevermos a subir mais do que um degrau da mesma.
Anónimo disse…
É quase a "insustentável leveza do ser!" Sem retorno.
Carpir não serve nem sustenta a desgraça.
Para subir a piramide de Maslow é necessário mais motivação. Que não há.
Guerra, desemprego, recessão económica trazem no ventre a depressão psiquica - o "esgotamento" como os portugueses gostam de dizer.

O "ouro negro" teria, algum dia, de arrastar o Mundo para dias negros...
Porque, nos últimos séculos, nos entretivemos a agredir os ecossistemas.
As novas gerações foram educadas nestes moldes e, fundamentalmente, aguardam a sua vez para prosseguir a agressão.
Luta de gerações ou colapso civilizacional?
Anónimo disse…
Segundo o Campeão das Provincias Vilar foi constituido arguido em procasso de corrupção e tráfico de influências. Era de esperar. Era "gordura" a mais...
Anónimo disse…
VERGONHOSO. É POR ISSO QUE AS PESSOAS JÁ NÃO VOTAM, NÃO QUEREM SABER. VILAR, BRAÇO-DIREIRO DE FAUSTO CORREIA E HOJE CANINO APOIANTE DE BAPTISTA FOI CONSTITUIDO ARGUIDO EM CRIMES DE CORRUPÇÃO E TRÁFICO DE INFLUÊNCIAS. POIS É!
Anónimo disse…
Pois mas isso não interessa...

O Vitor Baptista já ganhou.
O PS continua na mesma.
O PSD não existe.
(O PSD é o jaime Soares e tudo o que representa...)

O povo? O povo consome.
(Quer lá saber dos combustiveiis fosseis.)

E um dia destes a democracia portuguesa que vai fazer 32 anos, fica velha de esclerosada.

Mas que é que isso interessa ao Vilar ou ao Baptista? Ao Fausto ou ao Jaime Soares? Nada!

Desde que haja uns amigos e uns rapazes(e raparigas) próximas para os eleger tá tudo bem.
Democracia,transparência, ética republicana, que é que isso interessa?

"- Não queremos mudar nada, queremos é ser eleitos para ... permanecer. Estar, ocupar, mandar, controlar, manipular... MANDAR. Que esta malta tem que saber quem manda, quem é o Chefe! Ou brincamos? Eleições? Regras? DEmocracia? Está tudo doido ou quê?

O povo? O não percebe nada. Eles é que sabem.
E nós deixamos, coitados.

Não se arranja por aí um actualização do Programa Revolução, ou do sistema operativo "25 de Abril Sempre: Fascismo Nunaca Mais!" ???
cãorafeiro disse…
não concordo, carlos. isso é o que alguns, quem quer manter a sociedade dividida faz crer.

quem tem filhos e netos, quer o melhor para os seus filhos e netos.
isso viu-se em frança-os pais e os avós sairam à rua com os filhos e os netos, contra a Kangurização da sociedade.

quanto ao resto, concordo contigo. temos um modelo de desenvolvimento económico que está a levar o Mundo à auto-destruição.

mas não vejo os responsáveis políticos a procurar alterar as coisas.
um exemplo simples: as políticas de urbanismo. tudo o que se constroi de novo agrava a dependência dos cidadãos face ao automóvel. tudo é grande demais, isolado demais, cercado de vias rápidas... logo, cada vez mais as pessoas precisam de um carro. o que agrava a factura energética do país, mas também o nível de dioxido de carbono na atmosfera.
enquanto isso, os centros das cidades são deixados ao abandono...
Anónimo disse…
No triunvirato Vilar - Batista - Fausto, não há, concerteza, luta de gerações.
- Luta-se pelo tacho!
Agora, poderá ser necessário lutar para não bater com os costados na pildra.

Ou, uma originalidade matéria em que o PS é profícuo:
- Um dirigente, de "terno" às riscas, engravatado, de anel, Rolex e "pulseira electrónica".
Que cromo!

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime