Armando Vara (2)


Sobre AV afirmou um anónimo:

"Se fosse de direita não havia problema.Tinha subido a pulso, um self made man, com mérito na luta pela recompensa dos melhoress e mais aptos.O mercado a funcionar, portanto.
Como é de esquerda, é um arrivista, um tachista, um boy.
Porque o mérito é muito caro aos de direita, quando são os de direita a subir na vida.
(...)"


Ora eu acrescentaria apenas alguns dados:

AV foi funcionário de balcão da CGD no início da vida activa;
Cedo revelou capacidade de liderança política, ganhou eleições e cargos partidários a nível distrital e por volta dos 30 anos chega a Lisboa como deputado.

Ele deve andar agora pelos 50 anos de idade. Já foi Secretário de Estado e Ministro.

Tem portanto um tirocínio de 30 anos de política activa, o que lhe dá certamente capacidade de gestão de emoções e gestão de recursos humanos.

Só quem nunca entrou numa sede partidária é que não sabe o que ali se pode aprender da "vida" e dos "homens" (designadamente de aspectos menos sublimes...)

Vara deve estar ligado ao meio financeiro por razões profissionais e políticas há várias décadas.

Sinceramente...
Não conheço este cidadão. E nunca me disseram bem dele.
Mas aborrece-me este "diz que disse" apenas fundado numa cara mais ou menos agradável ou no facto de não ter "canudos" prestigiados!(França já teve pelo menos um Primeiro Ministro sem qualquer licenciatura!)

Ou... pior ainda.... pelo simples facto de ele ser do PS!

Então e os ex-Ministros gestores do PSD ou notáveis do CDS?
Como costuma haver simpáticos leitores (melhor dizendo, "co-fazedores") do Ponte Europa com tantas informações relevantes, agradecia que discutissem abertamente o que de facto sabem sobre ele...

Comentários

Anónimo disse…
Completamente de acordo com o anónimo e com André Pereira. Também não conheço Armando Vara, e confesso que quando o nomearam para Administrador da Caixa achei um bocado esquisito; mas se o querem num Banco privado é certamente porque ele lhes é útil. O Capital não brinca em serviço!
Anónimo disse…
O capital acha que é útil ter um boy lambe-rabos do governo na administração de um banco. É o melhor indicador de qual é o estado actual do país...

Quanto ao Vara, tenham vergonha!!! E a Fundação quando estava no MAI? A seriedade já não conta nada neste país???
Anónimo disse…
A questão, não é ter licenciatura ou licenciatura prestígiada, a questão é ser um produto do partido, com competência duvidosa a chegar tão longe...

Como trepador, está visto, é bom, como gestor, é seguramente uma m**** mas, muito útil ao partido e a ele próprio...
Mano 69 disse…
A verdade verdadinha é que não sei... nada!

Mas o que sei já basta para caracterizar a criatura que vai para o BCP mas deixa guardado, para uma outra oportunidade, o lugar na CGD.

Assim se vê a força do PSP!
CA disse…
"A seriedade já não conta nada neste país?"

Claro que conta. Muitas nomeações excluem logo à partida precisamente por serem sérias.

"Então e os ex-Ministros gestores do PSD ou notáveis do CDS? Como costuma haver simpáticos leitores (melhor dizendo, "co-fazedores") do Ponte Europa com tantas informações relevantes, agradecia que discutissem abertamente o que de facto sabem sobre ele..."

Armando Vara parece estar precisamente na linha de ex-governantes com cargos importantes: Celeste Cardona ou Ferreira do Amaral, por exemplo.

A única coisa em que se sabe que Vara é mesmo excepcionalmente bom é nas ligações a Sócrates e ao PS. E é isso que realmente interessa. Não é o capital que o escolhe. É o PS que o indica como embaixador do PS e se o grande capital não o aceitar sabe o que disse Jorge Coelho: quem se mete com o PS leva.
Anónimo disse…
Alguns dos comentadores anti-Vara (pessoa pela qual não tenho qualquer consideração política) revelam uma tocante ingenuidade (ou são realmente estúpidos). Então acham que uma pessoa que vai ter a enorme responsabilidade de liderar um Banco, escolheria para seu braço direito alguém de cuja competência não estivesse certo?
Anónimo disse…
Ao anónimo anterior.

Mas qual competência ? Só se for na arte de trepar.
Anónimo disse…
Depois de tantos cargos só não é um razoavel profissional se fot burro.
O problema nem é a competência de estudos ou outra, é sim a oportunidade para as ganhar.
Tomemos o segunite exemplo o sr. A não estudou, nada sabe sobre finanças enquanto o sr. B investiu parte da sua vida em saber e estudar. Contudo o sr. B que tinha aos 23 anos mais competências do que o sr. A não tinha amigos e ficou 10 anos nas caixas do Carrefour (assim ninguém se quixa de publicidade) o sr. A foi-lhe dado um lugar de admnistrador delegado numa repartição qualquer do estado por favorecimento político (digamos o IEFP, a Seg. Social, whatever).

Dez anos depois aparece um lugar num banco privado, claro que B tem agora melhor CV que A, contudo se no início da carreira tivessem sid dadas as mesmas oportunidades a A e B o sr. B hoje saberia mais que A, teria custos de aprendizagem no lugar em que A andou menores com menos custos para o contribuinte, e hoje seria melhor profissional que A nesse banco privado.

É esta questão para criticar Vara, não é se ele hoje tem competências ou não, é saber se ele no início da carreira era o melhor preparado e que teria curvas de aprendizagem mais curtas e produziria mais.

Este tipo de trepadeirismo é o que põe em causa o crescimento de longo prazo, é que no curto prazo tanto o bem como o mal preparado têm de aprender, mas no longo prazo o bem preparado custou menos a formar, faz mais e exerce melhor, se forem dadas as mesmas condições no início da carreira.

SR. André Pereira, pelos vistos é como o Vara que quer chegar a Catedrático, não sendo o melhor agora mas tendo uns tachos (mais oportunidades) para melhorar o seu CV.

el s

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime