Associação Ateísta Portuguesa repudia afirmações papais

Ao Núncio Apostólico Rino Passigato

Embaixador do Vaticano
nunciaturapt@netcabo.pt
Avenida Luís Bívar 18
Lisboa 1069-147 LISBOA

Senhor Núncio Apostólico

A Associação Ateísta Portuguesa (AAP) deplora que Bento XVI, na sua visita ao Reino Unido, tenha criticado o que chama «extremismo ateu» e estabelecido conexões entre o ateísmo e o nazismo.

A AAP não nega ao Papa o direito de condenar o ateísmo mas recusa a falta de verdade do alegado «extremismo ateu» quando é tão condescendente para com o anti-semitismo da Fraternidade Sacerdotal São Pio X (FSSPX) que, de excomungada passou a ser uma referência para o regresso ao rito tridentino da liturgia católica.

O cardeal alemão Walter Kasper, ex-chefe do Conselho Pontifício para a Unidade dos Cristãos, foi afastado do séquito papal ao acusar o Reino Unido de pertencer ao Terceiro Mundo, irritado com o seu carácter secular e pluralista, ao ponto de a Cúria ter de se retractar e afirmar tratar-se de uma opinião meramente pessoal.

Quanto à associação entre o ateísmo e o nazismo devia o pontífice lembrar-se de quem ofereceu a Hitler os certificados de baptismo para mais facilmente identificar os judeus em vez de lançar lama sobre quem não acredita em Deus.

A carga emotiva, que o nazismo justamente desperta, torna mais grave a difamação dos ateus quando o chefe da Igreja católica insinua que foi o ateísmo que conduziu ao crime os nazis.

Não sendo os ateus prosélitos, não deixam de ser irónicas as acusações de quem deseja converter o mundo ao deus da Igreja católica.

Assim, a AAP solicita ao Sr. Núncio Apostólico que transmita ao Vaticano a profunda indignação e revolta com as afirmações caluniosas de Bento XVI a respeito do ateísmo.

Apresentamos-lhe, senhor Núncio Apostólico, os nossos cumprimentos.

Associação Ateísta Portuguesa, 18 de Setembro de 2010

Comentários

Graza disse…
Senhor Núncio, transmita mesmo esta indignação ao Vaticano, e sabe porque deve fazê-lo? Porque me entristece profundamente o desprezo com que este Papa me trata enquanto ateu.

Tenho guerras tremendas com um amigo, sabe porquê? Porque ele me considera um “tolerante”, é que os seus rigores dão-lhe para a intolerância, porque exige que os outros não desconheçam as regras de funcionamento, como eu tendo a entender o que leva cada um a falhar, sou desgraçadamente: “tolerante”. Ora Senhor Núncio, eu conheço padres, vivos, e muitos outros já cá não estão há séculos, que fariam de mim um santo, e Vossa Eminência sabe disso, não sabe? Sabe, porque não desconhece a história recente e a outra mais antiga da sua amada Igreja. Diga lá a Sua Santidade o Papa que revela pelos ateus um profundo desrespeito e que não é dessa forma que se pesca.

Olhe, ao menos faça-lhe um boneco assim: desenhe duas paletas de cores, numa escreva Crentes e noutra escreva Não Crentes, para que ele perceba que a vida não é a preto e branco e que um ilustre como ele se afunda definitivamente quando me ofende na comparação com um nazi. E já agora que se vá entretendo a ver o lindo serviço que vai aqui no link junto que alguém aqui deixou:

http://www.youtube.com/watch?v=Jr5Q5Volv88
Anónimo disse…
Nem perderia tempo escrevendo carta a um tipo de pessoa dessa... ( o nuncio...)
Anónimo disse…
"que foi o ateísmo que conduziu ao crime os nazis."


Pavelic, Tiso, Hudal, Draganovic, SSaric, Brzica e Rozman eram ateus devotos
e-pá! disse…
Quando saí do Vaticano, e enfrenta o Mundo, começam as gafes...

Desde Ratisbona que é assim!

Este clérigo esteve muito tempo na Congregação para a Doutrina da Fé e daí saltou para o papado não tendo conseguido apreender modos de convivência com os povos e com os Homens.
Continua embuído de um anacrónico proselitismo. Manifesta, a todo o momento, preocupantes posturas dogmáticas, muitas vezes extremadas. É um exemplo paradigmático de desadaptção à função. Não respeita, nem tolera, os "outros".
Vive no limbo das heresias, das excomunhões e das penas do inferno... Não vive no séc. XXI.

A Cúria já o devia ter alertado para não efectuar visitas oficiais.
Anónimo disse…
http://www.radiovaticana.org/bra/Articolo.asp?c=47351
IGREJA CATÓLICA ALEMÃ INDENIZA 594 ESCRAVOS DO NAZISMO
http://www.radiovaticana.org/bra/Articolo.asp?c=195190
IGREJA NA ALEMANHA RECONHECE QUE EXPLOROU CERCA DE 6000 DEPORTADOS DURANTE O NAZISMO

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime