Austeridade: o exemplo de Bruxelas...

Estamos sob um severo escrutínio da Comissão Europeia, estamos sob o camartelo da Srª. Angel Merkel, estamos obrigados a submeter a "visto prévio" próximos orçamentos, estamos rigorosamente vigiados...

Mas a austeridade - no "espaço europeu" - não é um produto universal [muito menos equitativo].
Vejamos:

"D'anciens commissaires européens continuent de toucher des indemnités destinées à les aider à retrouver un emploi après la fin de leur mandat, alors même qu'ils ont déjà une autre activité salariée, rapporte le Financial Times Deutschland jeudi.
Au total, "dix-sept anciens responsables touchent encore des indemnités d'au moins 96 000 euros par an, bien qu'ils aient depuis longtemps un emploi de lobbyiste ou de politique"... le monde

As malhas que Bruxelas tece...

Comentários

Morcego disse…
Corrijam-me se estou enganado: não acontece o mesmo com os governantes e até mesmo deputados em Portugal? Não estaremos a preocupar-nos com o farelo e a esquecermos do mais importantes. O que é isso comparando com a falta de pudor de pina mouras, catrogas, coelhos e tantos outros que após funções governativas se "vendem" a grupos económicos com interesses nas suas áreas de governação anterior?
e-pá! disse…
Caro Morcego:

Penso que está certo!

Só que uma coisa são os sound bites de Catroga, Pina Moura, J. Coelho, etc., que valem o que valem ou, mesmo, as suas mordomias pós-governamentais em empresas [que são um assunto doméstico], e outra será a Comissão Europeia que nunca está satisfeita com os níveis de austeridade - nomeadamente nos "PIGS" - e, quando esmiuçado o seu sótão, tem "rabos de palha" deste género.

O Comissário Europeu dos Assuntos Económicos Olli Rehn, hoje, voltou à carga levantando a possibilidade de Portugal ter, ainda este ano, de tomar "medidas suplementares de consolidação orçamental, ...o que até poderá ser verdade. link

Mas, antes de mandar recados, ficaria melhor na fotografia se primeiro arrumasse a casa...
Bruxelas: Mais papista que o papa.

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?