A luta pelo mercado da fé

O pastor americano Terry Jones é um destes provocadores que apelam aos sentimentos mais primários da populaça para acirrar os ânimos e chamar a atenção para a sua Igreja. O termo «fundamentalismo» apareceu no início do século XX, nos EUA, para qualificar o protestantismo evangélico, prosélito do deus cruel, vingativo, xenófobo, homofóbico e violento que povoa o Antigo Testamento e que o actual Papa persiste em defender como inspirado pelo seu deus.

Ao ameaçar queimar exemplares do Corão mostrou o gosto pelos autos-de-fé em que se incineram livros em vez de pessoas. É um talibã, na versão evangélica, de um país onde, com todos os defeitos, a livre expressão é um direito adquirido.

A memória traumática do 11 de Setembro, nove anos depois, continua a horrorizar o mundo mas não é queimando o Corão que se procura a paz ou se desmascara a violência que escorre das suas páginas.

Em vez de queimar o Corão, tal como o Deuteronómio ou o Levítico, deviam distribuir-se exemplares, com versículos sublinhados. Mostrando a verdadeira face do deus do Sr. Terry Jones ou do deus de Bin Laden pode conseguir-se a vacina preventiva contra a demência da fé. Queimando os livros só se consegue agravar a superstição e a crença.

A religiões procuram a globalização e cada uma delas pretende ser a única a sobreviver. Sem a separação do Estado e das Igrejas não há garantias para a liberdade religiosa. Ao dobrar de um templo podemos sempre encontrar um esquizofrénico evangelista ou um demente islâmico. Precisamos de Estados que mantenham a mais estrita neutralidade em matéria religiosa.

Comentários

Anónimo disse…
o protestantismo foi comparsa do nazismo, KKK, apartheid e outras "maravilhas".... qual a moral que tem pra condenar o Islam?
e-pá! disse…
CE:

Em termos de mercado - passado pouco tempo tornou-se nítido - o lobby neocon - utilizando a boçalidade e o fanatismo do pastor Terry Jones - lançou uma OPA [hostil] sobre o "ground zero" em Manhattan [NY].

Aí, avança, em vertiginoso ritmo, a construção de 4 novas torres [de escritórios e comércio, supõe-se]...
Entretanto, as atenções dos novaiorquinos [e do Mundo] foram desviadas [ pelo espactáculo mediático do referido pastor] para "queimar" uma projectada [e controversa] transformação de um prédio [distante 2 quarteirões do ground] numa mesquita e num centro cultural islâmico...

O rev. Terry não será brilhante no seu apostolado evangélico num pequeno lugarejo na Florida, mas como "his master voyce" dos neocons, em Nova Iorque, pareceu funcionar...

Enfim, caminhos ínvios onde o dito "mercado da fé" pode ser utilizado e abastardado...

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime

Tunísia – Caminho da democracia ou cemitério da laicidade ?