A dissidência permanece sem assento...

Guillermo Fariñas, um conhecido activista e dissidente do regime castrista [acumula já 11 anos de prisão], foi galardoado pelo Parlamento Europeu com o Prémio Sakharov para a Liberdade de Expressão.
O regime cubano não permitiu a sua deslocação a Estrasburgo para receber o prémio.

Mais uma vez uma cerimónia para a entrega de prémios conta com uma "cadeira vazia"...

Jerzy Buzek, presidente do PE, afirmou: "Mesmo que activistas como Guillermo Fariñas sejam perseguidos e encarcerados, a sua voz não pode ser silenciada. O papel do Parlamento Europeu é amplificar a sua voz".

Comentários

Tanto no caso de Cuba como no da China, a ausência forçada dos premiados é a confirmação incontestável de que eles mereciam os prémios.

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime