Espírito Santo: ‘Brandas’ transições…

O colapso do 'império Espirito Santo' surpreendeu muita gente mas é o exposto. Só não adivinhamos a totalidade das consequências porque o Grupo assemelha-se a um iceberg.
Todavia, e paralelamente, começaram as manobras de ‘branqueamento’ pessoal e da família. E como branco, branco, são as vestes papais numa curta e vazia entrevista ao “Diário Económico” link, Ricardo Salgado, o patriarca [destronado] do clã bancário dinástico (financeiro e empresarial), primeiro responsável por um grupo financeiro que ‘influenciou’ o nosso País durante mais de 1 século, cita por 3 vezes o papa Francisco.
A fé parece ter substituído os negócios obscuros, as engenharias financeiras, o dinheiro fácil, a especulação bolsista, etc. e estamos perante uma mística transição: o ardiloso e desacreditado banqueiro virou um ‘homem de fé’.
Terá começado a pregar no deserto enquanto aguarda o milagre da ‘ressurreição’. A segunda desde há 40 anos. É obra!

É fácil imaginar o que sucederia noutros tempos e diferentes paragens: Na Idade Média teria sido enclausurado, p. exº., num convento para penitenciar-se [de acordo com o seu ‘estatuto’], na Revolução Francesa viveria o espectro da guilhotina, nos EUA estaria preso e teria sido confiscado, no Médio Oriente seria um ‘mártir’ a aguardar ira dos ‘mercados’ e em Portugal vive tranquilamente na linha do Estoril e dá entrevistas.

Não há dúvidas: Um País de brandos costumes… que continua quotidianamente a revelar-se face a um miserável esbulho nacional a fim de salvar a banca europeia (alemã) e seu sistema financeiro sob a  capa de uma União monetária.
Na verdade, a mentira história criada pelo Estado Novo para apagar a pouca brandura da revolução liberal do séc. XIX e das lutas do início do século XX tem-se revelado realmente produtiva.

Comentários

A fé é o único ativo financeiro com as cotações estáveis.
e-pá! disse…
A fé que nos tempos feudais trouxe infindáveis proventos à ICAR foi esmorecendo e perdeu privilégios a partir da Idade Moderna.
Hoje, o desenrolar de uma nova crise pode, reactivamente, encher o terreiro de Fátima mas com certeza que o rendimento caiu. A aposta na fé assemelha-se ao jogar na lotaria.
O 'mercado da fé', com certeza, que sofreu também 'ajustamentos'. O 'Espírito Santo' que o diga.

Suspeito que a cotação da 'F€' não permaneça assim tão estável e que às côngruas tenha chegado qualquer coisa do tipo de uma contribuição extraordinária de solidariedade (ou de sustentabilidade).
Apolineo Gouveia disse…
Receita of portugal : Sentir um direito divino e roubar .Sentir uma humildade do tamanho do mêdo levantar-se tres dias de manhã cedo e com os olhos postos na fé ou numa saia,curtir um grande dia de praia! a) Amen

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido