Quando, em vez de notícias, se anuncia um desastre

Estando o Governo a banhos, o PR a gozar as delícias da casa da Coelha e Ricardo Salgado intimidado com a suspensão do exercício da atividade bancária, coube ao Governador do Banco de Portugal o doloroso encargo de comunicar ao país, em jeito de condolências, a desgraça que o espera.

O Governo, para não ser acoimado de aldrabão, deixou ao governador do BP o anúncio das medidas que jurou nunca tomar.

O País, atónito, desconhece as medidas que foram tomadas por este Governo para que o Banco de Portugal não voltasse a ser enganado, como no caso do BPN.

Consta que Cavaco, Durão Barroso, Marcelo e respetivas esposas vão fazer um período de nojo antes de voltarem a jantar em casa de Ricardo Salgado.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido