Maus exemplos

«Na quarta-feira, as votações semanais na Assembleia da República não puderam ser feitas, uma vez que apenas 111 dos 230 deputados do parlamento estiveram presentes, menos cinco que o mínimo de 116 parlamentares».

40% do PS, 49 dos 121 deputados, e 66,66% do PSD, 50 num total de 75, faltaram às votações, (...) sem contar com as 13 ausências por missão ao estrangeiro, faltaram às votações 107 deputados, 50 do PSD, 49 do PS, 5 do CDS-PP, 2 do PCP e um do BE.

O intenso amor à família que esta quadra piedosa exacerba e a devoção dos senhores deputados pelas festividades canónicas podem ter estado na origem das ausências.

De qualquer modo foi um péssimo exemplo que deram ao País, uma forma de justificarem quem os ataca, com e sem razão, e um gesto civicamente deplorável.

Para o PS, a quem exijo outra ética, o que sucederia se os deputados do PSD, chamados pela fé ao aconchego das famílias e à desobriga pascal, tivessem optado por cumprir as suas obrigações cívicas e tivessem chumbado os diplomas em votação?

Em vez do descrédito da Assembleia da República, para que todos contribuíram, o PSD podia ter infligido uma clamorosa derrota política ao PS.

Assim, apenas colaboraram no desprestígio do órgão da soberania onde pulsa o coração da democracia.

Comentários

Anónimo disse…
Finalmente Esperança estou de acordo consigo! Está a ver que é fácil criticar também os nossos??!! Sabe, você assim ganha mais credibilidade...
Um abraço
É uma facada na Democracia o que estes senhores acabam de fazer. Que pedir aos outros ?
Que exemplo, de quem tem de ser exemplo.

A cabeça de lista por Coimbra (PS) já terá 17 faltas justificadas.

Que credibilidade, quando, quais pedintes nos vierem pedir o voto e prometer.

Prometam-me só honra, só exemplo, só trabalho,só dedicação !

Infelizmente será suficiente.
Vítor Ramalho disse…
Faço minhas as palavras do anónimo.
Anónimo disse…
Carlos Esperança,
Este é um dos motivos pelos quais admiro o seu trabalho.

Esses "senhores" têm que ser devidamente multados pela opinião pública.

O problema é que quem sofre é a democracia. Descredibilizando-se ...

Uma vergonha nacional.
Alguém se preocupa se se reduzir o numero de deputados? Não!

Excepto eles mesmos.
Porque será?

Tenham vergonha.
Anónimo disse…
Só gostava de saber se os deputados eleitos por Coimbra também estavam ausentes. É simplesmente lamentavel.
Anónimo disse…
Por favor, informem-nos se os deputados do PS Coimbra faltaram!
Queremos saber!
Mano 69 disse…
Bem podem esperar...
Anónimo disse…
do PS e do PSD já agora
Anónimo disse…
è claro que faltaram.

Todos por "motivos justificados"!
Anónimo disse…
Dos 230 deputados, 120 faltaram às votações, embora inicialmente se pensasse que tinham sido 119. A diferença terá a ver com o facto do sistema electrónico de contagem ter tido falhas, que foram detectadas pelo secretário da mesa Fernando Santos Pereira, que na noite de quarta-feira telefonou a Jaime Gama a informá-lo dos números. Destes 120 - e não contando com as 13 ausências justificadas de deputados que estavam em trabalho parlamentar no estrangeiro - faltaram às votações 107 deputados: 50 do PSD, 49 do PS, cinco do CDS, dois do PCP e um do BE.

Embora o PSD tenha sido o partido mais faltoso, com dois terços dos seus deputados ausentes, na bancada socialista faltaram cerca de quarenta por cento dos deputados. Mais, durante a tarde assinaram o livro de presenças 114 deputados socialistas de um total de 194 (de todos os partidos) que estiveram no plenário ao longo da tarde. Antes das votações também tinham passado pela sala 52 deputados do PSD, 10 do PCP, nove do CDS, sete do BE e dois dos Verdes, a única bancada totalista.

Quando por volta das sete da tarde a mesa da AR se apercebeu que não havia deputados suficientes, Jaime Gama invocou o artigo 13.º do Estatuto dos Deputados e fez soar as sirenes para a chamada para votações. Depois disso, esperou uns breves minutos e mandou "trancar" a lista de presenças. Osvaldo de Castro, deputado do PS e presidente da Comissão de Assuntos Constitucionais, diz ao DN estar convencido de que haveria "deputados suficientes no Parlamento. O problema é que a campainha mal se ouve no edifício novo" (onde ficam os gabinetes dos deputados). Mesmo assim, acrescenta que "teria valido a pena chamar por telefone os deputados que estavam em Lisboa para voltarem aos trabalhos".


Um outro parlamentar afirmou ao DN que "faltou bom senso", ao deixar adiar as votações para depois das 19 horas.
Anónimo disse…
Amiguinhos está para rebentar uma bernarda daquelas que abalará o PS e o PSD de Coimbra. TCN TCN TCN TCN
Anónimo disse…
Mas já que estamos com a mão na massa seria interessante saber a percentagem de deputados que passam no Parlamento 4 anos e não fazem qualquer tipo de intervenção.
Numa altura em que o Poder gosta tanto de "rankings", seria mais um.

A facultar à populaça votante nas próximas legislativas...
Ou para acompanhar os estudos para um eventual aumento dos vencimentos...
Ou para fundamentar os pretendidos previlégios judiciais...

OU PARA FAZERMOS CONTAS À VIDA!
Anónimo disse…
gostaria de saber, do PS ao PSD se houve faltas dos deputados de Coimbra
Anónimo disse…
Tb se aplicará a estes enhores a regra de três faltas injustificadas logo motivo para demissão por justa causa?
Anónimo disse…
A democracia não tem medo.

Estes senhores dão mau nome á democracia.
Fazem-na mal frequentada.

Um dia destes vamos aqui chapar quem foram as Suas Excelências os Meretíssimos Deputados pelo Circulo Eleitoral de Coimbra que faltaram á tarde de trabalho parlamentar.

E se calhar até assinaram a folha de presença...

Ai que surpresas vamos ter (se calhar não)...

A democracia é um processo evolutivo( e tb regressivo), tem que ser afinada, aperfeiçoada.
Democratização tb deve rimar com descontaminação.

Depois, quais vanguardas do pensamento, queixem-se que o povo não tem cultura civica , que é inculto e desinteressado. Que não quer votar.
Com exemplos destes vale mesmo mais tratar da "vida vidinha" e ir para o Centro Comercial gastar o que se tem e o que não se tem.

Os deputados, esses, vão para Sul... ou Oeste. Ruma ao Sol.
Que é o lugar que têm.
Ai se pudessem ser despedidos. Justa causa ja tinhamos.
Anónimo disse…
Depois da falta de quórum da semana passada

Jaime Gama desafia líderes parlamentares a propor alterações ao estatuto dos deputados

O presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, desafiou hoje os líderes parlamentares a aproveitarem o colóquio de hoje e amanhã sobre ética e política para apresentarem propostas de reforma do regime estatutário dos deputados.

in Publico online, 2006-04-18
Anónimo disse…
That's a great story. Waiting for more. film editing schools
Anónimo disse…
Wonderful and informative web site. I used information from that site its great. »

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime