Dia Mundial dos Refugiados


















À catástrofe silenciosa, que condena milhões de pessoas em todo o mundo, procura responder a ONU através dos seu Alto Comissário.

É nessa tarefa humanitária que o mais bem preparado primeiro-ministro de Portugal dos últimos cem anos empenha agora as suas enormes capacidades intelectuais, a dedicação e o espírito altruísta que são seu apanágio.

Para Portugal é uma honra ter um cidadão de tão elevada craveira em funções tão nobres. Para os refugiados é um motivo de esperança contarem com o empenhamento de uma personalidade como António Guterres.

Comentários

Anónimo disse…
Caro Esperança:

Salvaguardado o devido respeito que me merece o Engº. António Guterres nas difíceis funções que lhe estão actualmente confiadas, colocá-lo no mesmo "post" com a Angelina Jolie (embaixadora da boa-vontade da ONU para refugiados) é, salvo seja, matá-lo mediaticamente.

O esbelto "pormenor" ofusca a notícia...
Anónimo disse…
Caro e-pá:

Registo-lhe o humor e a rápida identificação do «esbelto pormenor».

Com leitores assim, vale a pena o esforço diário que dedico ao Ponte Europa.

Obrigado.
Anónimo disse…
à ganda guterres!!!
Boa em geral e parece que também na vontade, faz boa companhia ao Guterres, e ele bem merece.

Foi de facto o mais bem preparado e, porque não albitrá-lo, o mais inteligente primeiro ministro de Portugal.

Contudo, devemos dizê-lo, isso não chega, nem chegou.
Anónimo disse…
De facto, Eminência, o mal deste nosso mundo é haver nele 'contudos', e outras adversativas fatais.
Cumprimentos
Anónimo disse…
Está provado que as figuras esbeltas fazem disparar as visitas dos blogs. Experimente continuar...
Anónimo disse…
Há contradição insanável entre as artes da política (enquanto condução das sociedades) e as artes de ser humano (e conduzir a própria vida).
Um homem invejavelmente inteligente, culto, tolerante, civilizado, humanista, atento ao outro, dialogante, bom tribuno, eticamente impoluto, não é por força um bom político. Nem sequer é bilhete seguro para o céu, e Guterres mostrou-nos isso.
Na fórmula do bom político têm lugar primeiro a frieza de análise, o distanciamento, a inflexibilidade, o maquiavelismo, a indiferença qb., a manha.
Penso que a maior fragilidade de Guterres foi a permeabilidade à influência religiosa, e aos bloqueios que provoca. Veja-se o caso da IVG.
Além disso os povos são ingratos. Ninguém hoje se lembra, entre os mais pobres, a quem se deve a criação do rendimento mínimo.
Anónimo disse…
Espero ansiosamente a sucessão de Cavaco Silva.
Guterres será o nosso Presidente!
Anónimo disse…
Enquanto, de forma tolerante, emitimos as nossas análises, em democracia, organizam-se blogs fascistas ou fascizantes !

www.ocantodocirne@blogspot.com
cirnedecastro@sapo.pt

Mensagens populares deste blogue

Insurreição judicial

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime