Não culpemos a televisão


O problema é, de facto, grave.

Comentários

Anónimo disse…
Se somos poucos, apostemos na qualidade.A determinação Biblica"crescei e multiplicai-vos" nos dias de hoje é anacrónica.
Anónimo disse…
Boa varada!
Anónimo disse…
A televisão (a falta da), ontem.
A internet, a blogsfera, os e-Pod, etc.. - hoje.

Na realidade, cada vez mais difícil criar (principalmente educar) os filhos.
É no deu a competividade no mercado global.
A pílula, nomedamente a do dia seguinte, também ajudou.

Mas a visão tem de ser "global".

Vamos ser menos (os ditos ocidentais)..
O Oriente, apesar dos controlos, continua com crescimento demográfico.
No Médio Oriente, os muçulmanos com um regime social diferente, também.
Os negros nascem, mas fogem da doença e da fome que grassa em África, essencialmente para a Europa.

De maneira que, nesta confusão, em termos humanitários, vão gerar-se equilíbrios.

Os ultra-nacionalistas, os xenofóbicos, é que estão lixados.
Parece que a sua única chance é "apostar" na clonagem ...para já interdita e contra os princípios que dizem ter mas não têm!

As considerações (e as especulações) sobre a temática demográfica não têm fim...
Anónimo disse…
A demografia é um bico de obra.
A velha Europa, e no geral as sociedades brancas mais evoluídas do hemisfério norte, apresentam números preocupantemente deficitários. Mas esses números preocupam apenas por razões 'tácticas'. Porque, no geral do planeta, a carga demográfica aproxima-se do esmagador. O crescimento dos últimos cem anos, que só foi possível à custa do banquete do petróleo, quase que assusta.
Imaginemos apenas que todo o oriente, e todo o hemisfério sul, começava a consumir recursos como o faz o homem branco. No dia seguinte o planeta fechava para balanço.
Petróleo, gás, água, alterações ambientais...
Desde o séc.XVI, mas sobretudo nos últimos 150 anos, o homem branco capturou, em benefício próprio, os recursos do planeta. Praticando um consumismo suicida e imoral, condena os restantes à penúria. Eles respondem ao absurdo com uma lei da natureza, (não consciente, claro) que é a lei do número.
5% da pop. mundial (a América) consome 25% da energia disponível.
Isso vai ter que mudar, e não há bombardeiros estratégicos que o possam impedir.
50 anos? Não será demais? A irracionalidade da vida humana actual anda no ar, corta-se à faca!
Mano 69 disse…
O problema não é GRAVE, o problema é derivado à falta de GRÁVIDAS.
A barafunda de um país destruído do ponto de vista económico e de todos os pontos de vista.

Não há crianças nem projectos - a instabilidade é tal que inibe qualquer um !

Ao mesmo tempo a 2ª maior taxa de gravidez na adolescência na Europa.

Estes dois índices em conjunto não auguram nada de bom !!!
Anónimo disse…
O pensamento sobre um 'país destruído do ponto de vista económico' pressupõe a ideia de que esse país alguma vez se achou economicamente edificado.
Ideia peregrina, claro!
Anónimo disse…
Ai voçês aí são poucos ? As V/ mulheres não engravidam? V/ viraram impotentes?
Coitados... mandem-nas para junto de mim, carago!

Mas entretanto, digam aos V/ canais televisivos, que vos forneçam mais erotismo... para ver se V/ "ganham côr"... porra!

Vão por mim que tenho experiência!
Anónimo disse…
What a great site, how do you build such a cool site, its excellent.
»
Anónimo disse…
Interesting site. Useful information. Bookmarked.
»
Anónimo disse…
Super color scheme, I like it! Good job. Go on.
»
Anónimo disse…
best regards, nice info
»

Mensagens populares deste blogue

Cavaco Silva – O bilioso de Boliqueime