Autárquicas em Lisboa

Ouvi há pouco na rádio que Carmona Rodrigues persiste na promessa de lugares em troca de votos. Desta vez o negócio é com o PPM.

Procuro a notícia na NET mas, por enquanto, não encontro confirmação nas agências noticiosas.

A ser verdade, estamos perante um caso de polícia. Já não é um problema político.

Depois de lugares em empresas municipais seguiu-se a sinecura de provedor do munícipe - o que já foi confirmado -, sem desmentido do vereador Carmona Rodrigues nem do incorruptível líder da distrital laranja, António Preto.

Que empregos estarão a saque na Câmara de Lisboa, a troco do apoio eleitoral ao PSD?

Valentim Loureiro oferecia electrodomésticos . Estamos no terceiro-mundo.

Marques Mendes não tem uma palavra a dizer?

Adenda: A notícia é de «O Independente»

Comentários

JRD disse…
O Marques Mendes esgotou o discurso da corrupção.
Lisboa não é Oeiras, nem Gondomar, (mas também não é Felgueiras nem Matosinhos...)
JRD disse…
Nota: a alusão a Matosinhos não tem a ver com o discurso da corrupção, mas sim dos apoios.
BMonteiro disse…
S/comportamentos em apreço campanha autarquia Lisboa, pergunto-me se duas pequenas noticias última Visão, não constituirão «metásteses» mesmo problema: a que título, nomeados para Paris, dois funcionários do governo anterior,nem mais nem menos que dois ajudantes do sr Portas.O PS a preparar uma futura colaboração com o PP/CDS?
Nada a fazer!

Mensagens populares deste blogue

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido

Nigéria – O Islão é pacífico…

A desmemória e a dissimulação