Quando se começa mal o dia...

Às vezes não consigo perceber o que certas pessoas ilustres querem dizer. E não estou a falar do Sr. Presidente da República, que em matéria de florestas e incêndios mais valia estar calado.

O que estes Senhores pretendem, em última instância é a expropriação das florestas aos particulares. A ser assim é muito grave.

Se querem um bom exemplo de gestão das florestas importem o modelo dos Açores que é eficiente.

Comentários

Ricardo Alves disse…
E já agora, o modelo dos Açores consiste em quê? (Pergunto por genuína curiosidade...)
Anónimo disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Ao anónimo das 3:56:

Comentário apagado por já estar publicado anteriormente, onde se mantém.
Carlos Felício disse…
Ao Ricardo Alves:

Há uns anos atrás estive em São Miguel durante uma semana a monitorar uma formação na area das iniciativas empresariais. Durante esse período tive oportunidade de circular na ilha na companhia de alguns empresarios. Ao passar por uma zona de floresta e ao ver que estava a ser feito um corte, fiquei admirado pelos procedimentos associados, coisa que nunca vi no continente. De facto, o corte tinha sido comunicado às autoridades, incluindo o nº de exemplares a abater, as ramadas foram retiradas de imediato e a reflorestação era feita no período vegetativo seguinte.
O respeito pela floresta é permanente.

Dir-me-ão que o clima é diferente. Sem dúvida. Mas não é por aí que devemos justificar.
jserrano disse…
concordo contigo Felício, por isso é que se diz que Portugal é um país de pedreiros e não de arquitectos.

aqui só se fazem remendos por cima de remendos, nada se planeia estrategicamente.

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido