Medicamentos de venda livre (cont.)

Na cruzada pela defesa do monopólio das farmácias o Bastonário da Ordem dos farmacêuticos alerta joje no Jornal de Notícias para o facto de que «o paracetamol , por exemplo, é a arma de suicídio mais utilizada no Reino Unido».

Fraco argumento. A linha do combóio, os poços e o veneno contra o escaravelho da batata eram os meios mais procurados para os desesperados rurais, durante a minha infância.

Para os ratos só os gatos e as ratoeiras existiam. O raticida só mais tarde entrou nos circuitos suicidas do arsenal químico.

Comentários

Anónimo disse…
A sede nacional do PS devolveu cerca de 40 fichas de militantes do concelho de Figueira da Foz com várias irregularidades. De entre elas encontra-se a inscrição do mesmo militante duas vezes e de haver na mesma morada, por acaso em casa do deputado João Portugal, mais de 5 pessoas.
Há quem diga que " agora talvez se perceba como se ganham eleições no PS/ Figueira da Foz ! ".
E esta heim ?!
Caro anónimo:

Acha que o seu comentário está de acordo com o post?

Por que razão não cria um blog?

Se é leitor habitual do Ponte Europa deve saber que comentários não relacionados com os temas dos posts podem ser removidos.

Não abuse.
"CHATO" disse…
TEMA LIVRE
Vejo com agrado que existe alguma regulação democrática nos comentários aos posts. Veja-se a bagunça que foi noutro blogue. Agora deixo mais uma sugestão: para que os comentadores (anónimos ou identificados) deste blogue possam escrever sobre outros temas actuais, porque não abrir diariamente um "TEMA LIVRE" (poderá ser esse o título) onde todos possam escrever aquilo que entenderem?
FICA A SUGESTÃO e boas crónicas.
Chato:

Acho que tem razão. Não custa abrir um espaço semanal para os leitores.

A sugestão é acolhida.
Rosario Andrade disse…
É interessante como quando nao ha argumentos válidos as pessoas encontram argumentos pateticos. Essa dos suicidios no Reino Unido com paracetalmol é absurda. Quem se quer matar mata-se. Muitas a tentativa de suicidio é apenas uma provocacao, ou se quisermos um acto extremo de pessoas que necessitam de atencao.
E é bem mais limpinho um tipo finar-se com uma overdose de paracetamol do que deitar-se na linha do comboio ou pegar na cacadeira e levar outros com ele. Mais barato tambem (se o suicida nao for descoberto entre a vida e a morte, ai é necessario um transplante do figado, o que nao é nada barato- lembro-me daquele caso em que um suicida foi transplantado, e no dia seguinte a sair do hospital atirou-se de um penhasco, aqui no Reino Unido).
E depois, mesmo que o paracetamol seja apenas vendido nas farmacias, isso impede que alguem que o queira usar para se suicidar o faca?
A verdade é que os suicidios nao aumentaram no Reino Unido depois de o paracetamol estar disponivel em outros espacos que nao a farmacia. As pessoas passaram a usar apenas metodos diferentes. Alem disso Sr. Bastonario esqueceu-se de dizer que o uso de paracetamol por suicidas tem vindo a diminuir drasticamente no Reino Unido. (Ha poucas semanas na revista da Royal Pharmaceutical Society um artigo referia isso mesmo).
Agora é so esperar que o grande passo da liberalizacao da posse das farmacias seja dado. A bem dos consumidores. Eles que olhem para o Reino Unido nesse aspecto... a diferenca de cuidado farmaceutico é tanta que eu ate tenho vergonha! Eu sei. Vivo ca... e até sou Farmaceutica (Oncology Pharmacist).
Cumprimentos
Rosário Andrade:

Boa contribuição à discussão. Obrigado.
Anónimo disse…
Wonderful and informative web site. I used information from that site its great. Mcse free exam bextra Differin gel acne Make digital photo print online uk

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita