DESABAFO

Há quase três anos que o Ponte Europa existe perpetuando o nome de uma esbelta ponte de Coimbra que o pio edil, Carlos Encarnação, para remissão dos seus pecados e para disfarçar dois mandatos falhados, decidiu crismar com o nome de Rainha Santa Isabel.

Este blog era um projecto colectivo que, por razões várias, acabou por vingar graças à obstinação do signatário cujas opções ideológicas são plasmadas nos numerosos textos publicados. Não se enganam os leitores quanto às opções, que só comprometem quem os escreve e subscreve, devidamente identificado com o nome, foto, idade, endereço electrónico e outros elementos ao dispor dos leitores.

Quem visita o Ponte Europa sabe com o que conta e é extremamente gratificante que aqui discutam e dialoguem leitores cuja craveira intelectual é um incentivo para manter aberto este espaço.

Há, porém, um leitor que canaliza o ódio a Sócrates e ao PS para o autor deste texto com uma sanha persecutória que o leva a provocações, ofensas e insultos, para além do ruído que introduz nos comentários com textos despropositados que repete até à náusea.

É uma criatura que a coberto do pseudónimo atira pedras e esconde a mão. Tenho procurado apagar os comentários que ele repete numa infantil alegria de quem deseja atenção. Eu gostaria que ele não pusesse mais aqui os pés. Mas põe. TODOS.

Não é minha intenção filtrar os comentários nem exercer qualquer espécie de controlo sobre eles, salvo se a decência e a ética o exigirem, o que não tem acontecido, nem com o provocador.

Devido ao leitor visado peço aos outros que desculpem o lixo com que eventualmente tropecem nas caixas dos comentários. Ignorem-no e, assim, contribuirão para que o Ponte Europa se mantenha um espaço onde vários leitores se habituaram a trocar impressões e pontos de vista.

Continuem por favor.

Comentários

pré-socrático disse…
Já só cá faltavam os diagnósticos pseudo-psiquiátricos e repetitivos do Esperança acerca de mim. E como sempre projecta nos outros (em mim) a sua própria personalidade.
Começa a falar de insultos e provocações, quando foi este sócretino quem começou por me insultar (logo na minha primeira intervenção) ao classificar-me como perturbado mental. Depois basta ler os posts deste sócretino para ver que a boa educação e o respeito pelos outros (desde os crentes, aos políticos de outros partidos) são coisas de que o Esperança se esquece frequentemente.
Diz também que eu tenho ódio ao sócretino. Engana-se... Tenho ódio é àquilo que ele representa: o cinismo, a política espectáculo e de plástico, o vazio de valores, a práxis liberal de quem se diz socialista, etc. E, nessa medida, você, enquanto idiota útil ao serviço de um embuste, reflecte na perfeição tudo aquilo que caracteriza o sócretinismo. Ou seja, o meu ódio ao sócretino é apenas directamente proporcional à sua paixão platónica pelo sr. «Engenheiro» (como você reconhece neste seu desabafo deprimente).
Depois já lhe disse e repito: sempre que você eliminar os meus comentários eu voltarei a colocá-los. Não por desejo de ter a sua atenção (você passa-se, ou quê?!), mas sim pelo contrário: porque você dá tanta atenção e importância aos meus comentários, que não consegue resistir aos seus impulsos pidescos e censura-os. E por isso eu também não resisto a colocá-los novamente. Posto isto, dizer que este é um espaço onde se trocam pontos de vista distintos, só pode ser mais uma piada do cómico que você é
Finalmente, se eu comento a coberto de um pseudónimo, muitos outros também o fazem, e só quem não tem argumentos para rebater os outros (como você) é que se serve desse tipo de «justificações» para desvalorizar os outros. Só que pior faz você que a coberto de uma ideologia (o socialismo) defende políticas e governos liberais. Por isso antes de exigir aos outros que escrevam com o seu próprio nome, trate primeiro de assumir as suas verdadeiras ideias políticas (ou melhor, os seus tachos) e não as mascare de socialistas, nem de esquerda. O lixo que você produz já não teria um cheiro tão nauseabundo...


PS: Olhe, mas até lhe vou dizer uma coisa acerca de mim. E sabe porquê? Porque estou farto do seu moralismo hipócrita que, não raras vezes, reclama o estatuto de anti-fascista e de perseguido pela PIDE para «justificar» as censuras que me faz. É que, meu caro, se você é hoje livre deve-o, também, ao meu pai, capitão de Abril. A si, o que eu, e muitos portugueses devemos é hipocrisia e a corrupção ideológica. Numa palavra, a falta de vergonha!
Anónimo disse…
Boas festas e continue com este blog, ignorando certos comentários sem interesse, que alimentam um debate estéril.
Excelente Ano Novo
Anónimo disse…
Carlos Esperança, eu sou aquele que você costuma confundir com o "pré-Socrático".

Tenho dito que não deve apagar os comentários do "pré-socrático" porque ele, enriquece o seu blogue. Penso que os ataques pessoais, só os aceita quem quer ou quem tem pedras no sapato...

Vá lá, CE, nesta época natalícia, que os ateus tanto apreciam, seja um democrata.

Esta nova tecnologia, tem as portas abertas, entra quem quer, por isso, não se iluda, por aqui, vai andar quem você quer e não quer.

Ácerca do Sócrates, deixe-o poisar, ele nas próximas eleições, vai ter o que merece...se ainda houver portugueses.
Vaclav Havel disse…
Esperança,
Tu és um homem BOM, és um homem livre.
Este espaço é um espço de LIBERDADE.
Não precisamos de te pedir que
o(s) tolere(s). Aceita-os na sua triste condição.
A tua condição de homem livre assim obriga.
A nossa esperança é que de tanto destilarem ódio (vão -se depurando) e ouvirem pedagogia (vão aprendendo) se transformem em homens melhores do que eram (são) qunado chegaram aqui pela primeira vez.
Repara... por aqiu ainda têm direito à discussão e ao contraditório. Se, unicamente fechados no seu pensamento e no seus argumentos, nada aprenderiam, e talvez se conevencessem a eles mesmos que têm razão.
Que não têm, de facto.
Mas para isso estamos cá nós para os "iluminarmos".
Força Esperança.
São as Pontes que ligam as margens.
comunista disse…
No aniversário dos três anos, faça-se uma jantarada para todos os interessados, que tal? (cada um paga o seu claro)
josé disse…
Caro Esperança

Parabéns pelo blog, costumo lê-lo com interesse e normalmente concordância.

Em relação aos comentários... olhe, de inicio lia-os pois gosto de ler gente que pensa diferente, hoje em dia assim que percebo de onde vem (não sei quem é, sou de Lisboa e o tipo é anónimo) passo à frente pois não leio quem não pensa.

abraços progressistas
Anónimo disse…
Parece que toda a gente se esqueceu do início do post. A escolha do nome Ponte Rainha Santa está correctíssima, caro Carlos Esperança. É uma das referências históricas da cidade de Coimbra (e de Portugal) e padroeira desta cidade. No dia 4 de Julho comemora-se o feriado da cidade e é também o dia da sua memória. Há inúmeras escolas e igrejas que ostentam o seu nome em sua homenagem. E haveria tanto mais para dizer sobre tão importante figura da nossa história...
Desculpe lá mas o seu ressabiamento (mais uma vez!) não pode assim querer diminuir a memória e o sentir colectivos. Ponte Europa? Está bem, fique-se com o nome que o nome fica-se por aqui!
pré-socrático disse…
O Esperança disse «Continuem por favor», e a carneirada que pensa, iluminada e alegre respondeu educadamente e sem insultos
alentejano disse…
Um ano de 2008 feliz, próspero e cheio de saúde para o Carlos Esperança e sua família, são os votos deste alentejano.
e-pá! disse…
Parece-me que o comentador "pré-socratico" exagera nas sua pretensões, já que exige que outros (não interessa fulanizar) tolerem a sua intolerância.
Que venha o debate contraditório, que se confrontem os opostos, que haja argumentação aberta, frontal, leal e verdadeira.
Todavia, sou obrigado a perguntar:
a moderação, a educação, o bom censo, são incompatíveis com o exercício da liberdade?
pré-socrático disse…
«Todavia, sou obrigado a perguntar:
a moderação, a educação, o bom censo, são incompatíveis com o exercício da liberdade?»


Olhe, vá perguntar isso a quem começou com os insultos e com a censura dos comentários, só porque sim.
Pergunte isso também aos anónimos bem educados e tolerantes, a quem o Big Brother deste blogue permite os insultos (o que mostra como é flexivel e arbitrária a moral de certas pessoas).
E finalmente pergunte isso aos anónimos que, para além de mim, também foram e são censurados.
pré-socrático disse…
DESABAFOS DE LEITORES DO PÚBLICO - A POLiTICA-ESPECTÁCULO E O NEOLIBERAISMO


A propaganda não pode esconder a realidade

A política económica neoliberal do Governo Sócrates tinha obrigatoriamente que levar aos resultados que se anunciam. A redução do mercado interno (com o desemprego crescente, o aumento dos impostos, o congelamento dos salários, a alta taxa de juro bancário, a alta de preços) não foi compensada (nem o podia ser) pelo mercado externo. As pequenas e médias empresas não podiam aguentar a subida dos impostos e a redução do mercado interno. Po esta política, é bom não esquecê-lo, são responsáveis o Governo e o Presidente da República, que tudo tem sancionado, assim como muitos jornalistas, sempre prontos a bajular e servir o poder. Infelizmente, ainda agora a procissão vai no adro. A situação económica tenderá a piorar. A menos que houvesse uma alteração radical da política económica seguida, o que não é plausível. De modo que só nos resta apertar o cinto e rezar a Deus para que faça o milagre de abreviar a vida deste Governo.
João Manuel Viegas



Como previsto, realizou-se a assinatura do Tratado de Lisboa, que os políticos, receosos de referendar a sua aceitação pelos cidadãos, afirmam que não há razão para que a ratificação não seja conferida aos parlamentos nacionais, dado que as alterações são insignificantes, quando comparadas com o conjunto de textos que actualmente regulam o funcionamento da União Europeia. Começa aqui a primeira dúvida, suscitada quando se lê no DN de 13/12 que da aplicação do novo instrumento aumenta a influência da Alemanha e reduz a de países médios como Portugal. Exemplificando, o DN evidencia na citada notícia que o peso de Portugal, que era de 3,4 por cento em cada decisão, passará para dois por cento, enquanto o da Alemanha sobe de 8,4 por cento para 16,7 por cento e o da França, como não podia deixar de ser, eleva-se de 8,4 por cento para 13,2 por cento.
A segunda interrogação que justifica o título deste "lamento" tem origem na seguinte dúvida: se o novo tratado não se justifica ser referendado por não conter alterações significativas, por que razão a sua assinatura implica tão grande festarola, quando os povos europeus lutam nas ruas para defenderem direitos sociais que os governos dizem ser preciso amputar, em nome de equilíbrios das finanças públicas? Será que a Europa está apostada em imitar a África, continente onde geralmente os governantes vivem "à tripa forra" e os povos na miséria? Um pouco mais de respeito pelos dinheiros públicos e alguma consideração pelas dificuldades que muitos milhões de cidadãos europeus vivem actualmente, teriam aconselhado que o evento em causa fosse mais recatado e menos dispendioso para o erário público. Infelizmente, os actuais políticos europeus podem ser pouco audazes e destituídos de valentia, como os vê Mário Soares, mas que são vaidosos, propensos à política espectáculo e com hábitos de "novos-ricos", isso ninguém negará.
A. Álvaro de Sousa
Leizi disse…
Definitavamente, o tipo está marado.Completamente.
Oh Esperança eu que até nem concordo contigo (muitas vezes!!), tenho que reconhecer que tens razão... o tipo está mesmo ché-ché de todo.
Atira-o da Ponte!!!
e-pá! disse…
Caro pré-socrático:

Sobre o meu comentário anterior:
A parte inicial foi-lhe directamente dirigida e era opinativa.

A pergunta final, como entende, foi dirigida aos leitores do ponte europa, sem excepção.
A sua resposta à pergunta foi uma excepção, na medida em que pegou na pergunta, fez "reenvio" para quem entendeu, pareceu que queria responder e, finalmente, usou da perrogativa de não pronunciar-se.
ana disse…
Hi, o gajo é filho de um capitão de Abril!Coitado do capitão!Deve ter dado sem querer com a G3 na cabeça do rapaz. E é para isto que uma pessoa faz o 25 de Abril! Enfim, erros da Natureza. Acho que o melhor é ignorar, afinal já por cá passaram outros semelhantes.
Quanto ao blogue, quero dar os parabéns ao CE. Algumas vezes não concordo com ele, mas o facto de dar a cara pelas suas convicções faz-me vir aqui sempre que posso. Longa vida ao Ponte Europa!
pré-socrático disse…
«Hi, o gajo é filho de um capitão de Abril!Coitado do capitão!Deve ter dado sem querer com a G3 na cabeça do rapaz. E é para isto que uma pessoa faz o 25 de Abril!»


O seu comentário fala por si mesmo, ó anocas. Realmente para que é que se fez o 25 de Abril? Para pessoas como você (e como Esperança) mostrarem como a memória é curta, e para do alto do seu poder e espirito tachista aplaudirem o retorno aos bons velhos tempos.
O Esperança, por exemplo, antigo professor primário, voltaria a exercer uma profissão mal reconhecida, mas agora sem poder exercer qualquer autoridade sobre os alunos (que podem faltar e gozar à vontade com o professor). Mas se calhar o PS promovia-o a titular ou reitor da sua escolinha, o que bastaria para o calar.
Você seria um daqueles troca-tintas que no dia 24 aplaudiam o Salazar no Terreiro do Paço, e no dia 25 já estavam era do lado do MFA. Quando cheira a poder a pessoas como você, os principios ideológicos e éticos são dispensáveis. Por isso gajas (para não dizer outra coisa) como você aplaudem um politico autoritário, arrogante e divorciado da esquerda. È graças a gajas como você que se pode dizer que temos os governos que merecemos: e realmente você só merece ser governada por salazares ou sócretinos.
Anónimo disse…
S alazar
O utrora
C aiu
R egressou
A gora
T ransformado
E m
S ocialista
Anónimo disse…
Carlos Esperança, os meus parabéns, não apagou os comentários atrás e fez muito bem...grande democrata, devagarinho chega lá.

Viva o 25 de Abril

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975