Faria de Oliveira preside à CGD


*
Faria de Oliveira, militante do PSD desde 1974 e ex-ministro do Comércio e Turismo no XI e XII governos de Cavaco Silva, reagiu desta forma ao convite do Governo para presidir aos destinos da Caixa Geral de Depósitos (CGD) – ontem anunciado no Porto em conferência de imprensa pelo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos.
.
Comentário: Trata-se de um critério de competência, alheio ao PSD e ao OPU$ D€I.

Comentários

Anónimo disse…
Agora é critério de competência. Deixa-me rir. Mas não é de todo mal pensado. Se as coisas correrem mal, e vão correr, livram-se as hostes socialistas.
Exactamente como aquele fulano na Direcção Geral dos Impostos. Como tinha sido o PSD a pô-lo lá, deixa-se actuar à vontade, assim não sofremos qualquer penalização política. Há uma coisa que não posso negar ao Sócrates: é esperto, sem dúvida. Mas que não faça dos outros burros...
e-pá! disse…
CE:

Os portugueses olham para esta "crise bancária" e têm uma incontrolável apetência para fustigar os políticos.

Primeiro, a crise de ilicitudes (para usar o conceito do Min. das Finanças) envolve um banco privado (por sinal, o maior), que foi deixado "à rédea solta" pelo BdP, pela CMVM e pelo próprio Ministério das Finanças. Isto é, mais um exemplo da subserviência do poder político ao económico;

Segundo, para sanear a situação não se deita mão dos organismos reguladores, prefere socorrer-se - para já, da administração - do maior banco público (CGD);

Terceiro, resta-nos saber se depois de apurada a real dimensão do escândalo financeiro do BCP (é melhor chamar os bois pelo nome) não serão também dinheiros públicos a socorrer interesses privados;

Quarto, o BdP, a CMVM e o próprio MF, cujas actuações são consideradas pelos portugueses mais do que negligentes, continuam impávidos e serenos na sua impunidade e a dar "palpites" (neste momento deixaram de ser esclarecimentos ou determinações);

Quinto, a intromissão política no maercado bancário não é um grande feito para exportação, nem ajudará a captação de investimentos, pelo contrário, prejudica os interesses portugueses;

Sexto, a polémica levantada pelo PSD sobre a nova administração da CGD, independentemente do juízo ou do acolhimento feito pelo Governo, mostra a existência de um "centrão oculto" que tudo constrói ou destrói neste País (concepção a julgar no futuro);

Sétimo, ninguém tem a veleidade de pensar em alguém que, capacitado para gerir um bancio, caía fora do sacrossanto grupo dos "boys" (do PS ou PSD, existem em todos os partidos e são de todas as idades - seniores & juniores);

Oitavo, a competência não pode ser invocada, em vão, para o exercício destes cargos - primeiro era necessário sanear essas administrações dos intrusos por via partidária, a quem o mais simples cidadão não reconhece competência de gestão e conhecimento no domínio (e Ciência)financeiro. À cabeça: Armando Vara e Celeste Cardona...;

Nono, se alguma coisa triunfou no meio desta confusão foi a "Entente Cordiale" Sócrates/Cavaco;

Décimo, a competência foi maltratada em todos os lugares e em todas as instâncias: no BCP, na CGD, no BdP, na CMVM e, fundamentalmente, entre todos os financeiros e gestores competentes que, com certeza, existem por este País, mas não têm qualquer cartão de partido, nem se integram nesta política do "centrão".

Como dizia Johann von Goethe que, além de escritor, foi cientista e filosofo e, predominantemente, um grande observador do Homem:

"Aprender a dominar é fácil, mas a governar é difícil".
in "Máximas e Reflexões" (Guimarães Editores), 1997.
Vítor Ramalho disse…
é-pá
Excelente análise.
Pôs a mão na ferida
ahp disse…
Parece-me que a nomeação de Faria de Oliveira, do PSD, é uma prova de isenção do Governo, que certamente não teria dificuldade em arranjar alguém do PS para o lugar. Agora dizem que ele é do "centrão" (PS+PSD). Mas fora desses dois partidos, quem é que o Governo podia nomear? O Dr. Louçã?
O Dr. Octávio Teixeira do PC? Aquela menina dos Verdes cujo nome não me ocorre? O Dr. Bagão Félix do CDS/PP e da Opus Dei, que já deu sobejas provas da sua enome incompetência durante o curto mas desgraçado período em que esteve no Governo? O Dr. Garcia Pereira?
O fadista Não-sei-quê da Câmara que dirige o PPM? A isto poderá responder-se : podiam nomear um independente. Eu acharia muito bem. Mas quem? Aguardam-se sugestões.
e-pá! disse…
Caro Ahp:

Uma vez, sem exemplo...
- O que me diz do prof. Campos e Cunha, ex-Ministro das Finanças deste Governo que revelou, durante o seu exercício, uma grande independência de posições ( embora nos tivesse começado a "apertar o cinto"... à conta do deficit).

Agora, não vou pôr-me a sugerir nomes (isso compete a outros) mas não me faça crer que só existem bons gestores e/ou bons financeiros, dentro dos partidos políticos...
Porque, então, "embelezamos" este escândalo, com histórias da carochinha.
Anónimo disse…
Isso dos bons gestores é uma treta!

Todos nós somos bons gestores, à nossa maneira e não temos licenciatura (como alguns que conheço)

Que dizer daquelas familias que se governam (por vezes 5 e 6 pessoas ou mais), com apenas um salário minimo!

ISTO É QUE SÃO BONS GESTORES... Agora o resto é paleio !!!!

Pensem nisso !!!
Vítor Ramalho disse…
Bom gestor é sem duvida aquele que sobrevive com o salário mínimo.
Tenho a certeza que dentro da Caixa e do BCP existem alguns gestores que conhecendo a cãs tinha capacidade para o lugar.
Seriam, medias isentas que gerariam mais algumas promoções e que dariam um bom sinal para os outros trabalhadores.
e-pá! disse…
Um imprevisível precalço pode estragar toda a estratégia delineada (tão ao milimetro) entre o Governo, organismos públicos de regulação e accionistas de referência, nos útimos dias:
- a confirmada candidatura de Cadilhe ao CA do BCP.

Que poderá por no banco (de disponíveis) Armando Vara.
E, por outro lado, tenho a esperança que Faria de Oliveira não reconduza Celeste Carmona.

E, assim, por escolhos e atalhos, vamos lentamente aportando a alguma decência.

Finalmente, poderemos especular sobre o inimaginável:
Sócrates a exigir a Menezes que lhe devolva um dos Bancos!
ou,
a queixar-se a Cavaco que "assim não vale"...
Carlos Esperança disse…
e-pá:

Se não é verdade, é bem achado.

Excelente humor e boa memória.
Anónimo disse…
O tiro parece estar a saír pela culatra, ao governo...
ahp disse…
Caro e-pá!

Se nomeassem o Prof. Campos e Cunha, a oposição ia logo dizer que era do PS; quanto a nomearem um independente, estou absolutamente de acordo que era a melhor solução; a questão era encontrá-lo: é que esses gestores normalmente estão ligados a partidos!
Aproveito para lhe desejar um bom Ano Novo!
e-pá! disse…
A candidatura de última hora protaggonizada por Miguel Cadillhe (o rosto vísivel) é mais uma rábula a acrescentar a este enfadonho escândalo financeiro que, vai desgastando, hora a hora, a credibilidade das instituições bancárias, no nosso País.

Penso que, em primeiro lugar, Miguel Cadilhe, pretende desafiar o Dr. Vitor Constâncio, enquando governador do BdP. Se não me engano, Cadilhe pertenceu à administração do BCP, no período que o BdP resolveu interditar a candidatura à próxima administração do BCP.

Depois, veste-se de branco imaculado como uma virgem.
Sobe ao altar de diz:
"a intromissão política neste caso é deplorável".
Absolutamente sapiente e precavido.
Contudo, penso que estaria a falar para Luis Filipe de Menezes, o primeiro político a intrometer-se e, se bem estão recordados, a propor Cadilhe para a Administração - ninguém percebeu se para o BCP, ou para a CGD.

O melhor é, nesta confusão, começar-mos todos,inopinadamente, a gritar:

"Foge cão que te fazem barão!
- Para onde?!Se me fazem conde!"

CE:
Este remoque não deve ser entendido como uma alusão menos respeitosa a SAR, cujos apoiantes andam de "candeias às avessas" com este blog.
Mano 69 disse…
«Comentário: Trata-se de um critério de competência, alheio ao PSD e ao OPU$ D€I.»

Tem toda a razão, agora a coisa está mais para o "critério de competência" que entronca nas premissas PS e Maçonaria…
Carlos Esperança disse…
O mano 69 até no antigo DGCI vê avental!

Mas se lhe vir o cilício talvez se convença.
Mano 69 disse…
Avental e cilício fazem uma dupla terrível para angariar impostos de relapsos...

Mensagens populares deste blogue

Goldman Sachs, política e terrorismo financeiro

Miranda do Corvo, 11 de setembro

Maria Luís e a falta de vergonha desta direita